Resumo Trabalho

EDUCAÇÃO PARA SAÚDE EM IDOSOS COM HIPERTENSÃO ARTERIAL

Autor(es): ALANNA THEREZA DE FARIAS CARVALHO, GABRIELA SILVA OLIVEIRA, RICARDO CASSIANO DA SILVA NASCIMENTO e orientado por WEZILA GONÇALVES DO NASCIMENTO e orientado por WEZILA GONÇALVES DO NASCIMENTO

Introdução: A hipertensão arterial é uma doença crônica de origem multifatorial que apresenta elevada prevalência na população brasileira, constituindo-se com um sério fator de risco para o surgimento de doenças cerebrovasculares e cardíacas. A prevalência da hipertensão nos idosos é superior a 60%, tornando-se um fator determinante na morbimortalidade dessa população, exigindo assim correta identificação do problema e abordagem terapêutica apropriada. Metodologia: O trabalho consiste em um ensaio teórico reflexivo que propõe a discussão acerca dos desafios a serem enfrentados pelos profissionais que atuam na ESF, fazendo ou tentando efetivar a educação em saúde para idosos portadores de Hipertensão Arterial. O referencial teórico utilizado será o Caderno de Atenção Básica do Ministério da Saúde nº37, que trata das Estratégias para o Cuidado da Pessoa com Doença Crônica Hipertensão Arterial Sistêmica. Resultados e Discussões: As atividades de educação em saúde para idosos acometidos de patologias adquiridas ou crônicas, no caso em questão, a hipertensão, são de total valia, pois muitos relatam não saber o que fazer, o que comer, se podem ou não praticar caminhadas por medo de um pico hipertensivo, entre outros. Essas atividades são de relevância, pois auxiliam os mesmos na busca de uma melhor qualidade de vida, do relacionamento interpessoal, na melhora da comunicação, na promoção do autocuidado. A união da equipe multidisciplinar com a família dos idosos é uma forma de trocar experiências e aumentar o incentivo à permanência deles nos grupos, criação de ações em saúde trabalhadas, desenvolvendo um cuidado qualificado para esta parcela da população, pois no decorrer das conversas perceberam-se crenças e posicionamentos que podem prejudicar a vida do idoso no cuidado diário frente às doenças. Conclusão: Neste sentido, a capacitação dos profissionais de saúde para desenvolver ações de educação em saúde deve ser valorizada e incentivada, tanto pelos próprios profissionais como pelos administradores, permitindo que estes possam melhor assistir os idosos e seus familiares. Os profissionais de saúde precisam então desenvolver um trabalho articulado com diversas áreas que atuam na atenção básica à saúde, estimulando a participação da família na construção de melhores condições de vida dos idosos, atentando para todos os problemas, inclusive a hipertensão arterial, a qual se configura em um importante problema de saúde pública no país.

Veja o artigo completo: PDF