Resumo Trabalho

AS RESISTÊNCIAS E A PERMANÊNCIA DA AGRICULTURA FAMILIAR DIANTE DO AVANÇO DO AGRONEGÓCIO NO VALE DO AÇU.

ZILFRAN VARELA FONTENELE, ANA JOAQUINA BARBOSA DE SOUZA, INGRID JONÁRIA DA SILVA SANTOS

Este projeto tem como objetivo principal produzir uma pesquisa histórica e social que permita registrar as resistências de camponeses e pequenos proprietários rurais aos impactos da chegada de grandes empresas ligadas ao agronegócio, algumas multinacionais, na região do Vale do Açu. Pretendemos incentivar a pesquisa e a difusão dos conhecimentos acerca da História local e regional, bem como buscamos registrar informações para catalogar e desenvolver materiais escritos e audiovisuais, tais como fotografias, vídeos, entrevistas em áudio, que possam compor um acervo Histórico e etnográfico no qual fiquem registradas e valorizadas as reações e motivações que levaram camponeses e pequenos proprietários locais a preferir se manter em suas terras, preservando a agricultura familiar, resistindo ao avanço do agronegócio na região. Pretendemos ainda observar os impactos dos processos de implantação de grandes empresas de agronegócio na região do Vale do Açu, contemplando uma construção histórica da ocupação e transformações espaciais, impactos socioeconômicos e culturais na população local, especialmente nas zonas rurais dos municípios de Ipanguaçu, Assu e Itajá, com foco especial para a compreensão e análise das razões que levaram algumas famílias camponesas a resistir e manter suas propriedades e formas produção tradicionais, muitas vezes com técnicas transmitidas através das gerações, que passam de pai para filho, e que contribuem para a composição de um patrimônio cultural local, em meio aos latifúndios das grandes empresas agrárias ali implantadas, algumas multinacionais, com grande apoio dos poderes públicos federal, estadual e municipal.

Veja o artigo completo: PDF