Resumo Trabalho

ABELHAS SILVESTRES DE UMA ÁREA RESTRITA DA PAISAGEM URBANA NO SEMIÁRIDO NORDESTINO (BRASIL

PATRICIA LUIZA DE REBOUÇAS

Muito se tem para conhecer sobre a apifauna do semiárido brasileiro e como estão estruturadas as comunidades de abelhas relacionadas ao bioma Caatinga. O objetivo desse estudo foi descrever a guilda das abelhas nativas em uma área urbana, inserida na região semiárida. As abelhas foram coletadas mensalmente, de dezembro de 2011 a dezembro de 2012, por dois dias consecutivos, das 6:00 às 17:00 h, utilizando a metodologia de Sakagami. Foram coletados 802 abelhas pertencentes a 30 gêneros, totalizando 48 espécies inventariadas. Apidae foi a família mais representativa, reseponsável por 84% das espécies de abelhas coletadas, seguida de Colletidae (60; 8%), Megachilidae (33; 4%), Andrenidae(18; 2%) e Halictidae (15, 2%). Quinze espécies de abelhas foram consideradas dominantes. Centris e Xylocopa foram os gêneros que contribuiram com o maior número de espécie, nove e cinco espécies de abelhas resepctivamente. O valor da diversidade (H’) para essse estudo foi igual 2,92 e o índice de uniformidade (J’) foi 0,76 logo, a distribuição do total indivídos para cada espécie se apresentou de forma equitativa, não sendo observado uma dominancia de poucas espécies com muitos indivíduos. A curva de acumulação das espécies apresentou uma leve estabilização, e a utilização de estimadores de riqueza sugerem que entre 78% a 88% das espécies de abelhas nativas presente no local foram coletadas durante esse estudo. Dentre as espécies capturadas, foi feito o registro de Centris xantomelaena, uma endêmica da Caatinga, o fortalece a hipótese de que permanencia de áreas naturais presente na paisagem urbana, contribuem com manutenção da população de abelhas nativas, através da garantia de fontes tróficas e sitios de nidificação para esses organismos.

Veja o artigo completo: PDF