Resumo Trabalho

AVALIAÇÃO DAS ATIVIDADES ANTIMICROBIANA DOS EXTRATOS DE TABEBUIA ALBA E MYRACRODRUON URUNDEUVA

GARDÊNIA SILVANA DE OLIVEIRA RODRIGUES, NILZA DUTRA ALVES, MARCOS SAULO PATRÍCIO DE SOUSA, CAMILA FERNANDES LEONÊZ e orientado por FRANCISCO MARLON CARNEIRO FEIJÓ e orientado por FRANCISCO MARLON CARNEIRO FEIJÓ

Várias alternativas quanto a espécies de plantas vêm sendo utilizadas no meio rural, para o tratamento de doenças infecciosas que acometem humanos e animais. Assim, o objetivo da presente pesquisa foi avaliar o potencial antimicrobiano dos extratos das folhas de Tabebuia alba (ipê –amarelo) e casca de Myracrodruon urundeuva (aroeira) frente a cepas de bacterianas. As folhas das plantas foram coletadas nas comunidades rurais próximas ao município de Mossoró/RN. Acondicionadas em sacos de cor preta e levadas ao Laboratório de Microbiologia Veterinária, na Universidade Federal Rural do Semi-Árido. Foi preparado um solvente hidroalcoólico à 70 %. Para a realização da análise das atividades antibacterianas dos extratos foi utilizado o inoculo padrão de cada microrganismo cultivado para teste em placa de micro diluição, foi obtido através de uma segunda semeadura das bactérias em caldo BHI na fase log (crescimento exponencial) na concentração 0,5 da escala de MacFarland, durante 18-24 horas. Foram utilizadas linhagens padrões, de Staphylococcus aureus (ATCC 12692) e Pseudomonas aeruginosa (15442). Cada cepa foi analisada nas concentrações do extrato de 1:1, 1:2, 1:4, 1:8. Os resultados indicam que os extratos de ipê-amarelo e aroeira influenciaram o nível da Staphylococcus aureus, apesar do aumento médio da absorbância, a diferença média entre as horas para ipê-amarelo (0,0155 nm) e aroeira (0,098 nm) não foram significativas. Em relação ao crescimento da Pseudomonas aeruginosa, observou-se um aumento dos valores médios da absorbância, com diferença média dos extratos de ipê-amarelo e aroeira de 0,130 e 0,114 nm, respectivamente, demonstrando que os extratos não foram capazes de inibir o crescimento dessas bactérias. Os extratos das folhas de Tabebuia alba e da casca de Myracrodruon urundeuva apresentam potencial como antibacteriano. O extrato hidroalcoólico de Tabebuia alba e de Myracrodruon urundeuva mostram ser inibidor de Staphylococcus aureus.

Veja o artigo completo: PDF