Resumo Trabalho

A BIODIVERSIDADE DO PARQUE ESTADUAL PEDRA DA BOCA – ARARUNA/PB

SABRINA BELMIRO LUCAS, FABIANA DE MIRANDA SILVA e orientado por THIAGO LEITE DE MELO RUFFO e orientado por THIAGO LEITE DE MELO RUFFO

Inserido no bioma Caatinga e sendo uma Unidade de Conservação, o Parque Estadual Pedra da Boca (PEPB) está localizado na porção norte do município de Araruna/PB. Trata-se de um ponto turístico bastante frequentado por pessoas do Brasil e de outros países. Na área de turismo, são diversos os trabalhos produzidos no PEPB, trabalhos que priorizam o turismo de aventura, o turismo ecológico, os impactos causados pelo turismo, entre outros. Todavia, são escassos os trabalhos que destaquem a biodiversidade local. Diante disso, objetivou-se neste trabalho realizar um levantamento da diversidade faunística e florística no PEPB. Para tanto, utilizou-se como método de pesquisa, a pesquisa bibliográfica. Os resultados da pesquisa mostram um total de 128 Unidades Taxonômicas Operacionais (UTO) registradas até então. Em relação à fauna, foram registradas 42 famílias, sendo três famílias de invertebrados e 39 famílias de vertebrados. Para este último grupo merece destaque as classes Mammalia e Reptilia, ambas com 13 famílias registradas. Já em relação à flora, foram registradas 42 espécies, distribuídas em 23 famílias, sendo Leguminosae, Anarcadiaceae e Cactaceae as mais representativas. Outra família da flora que merece destaque é a Bromeliaceae, que mesmo com apenas duas espécies registradas para tal, contempla uma nova espécie registrada da flora brasileira, a Tillandsia paraibensis, que é considerada endêmica do PEPB. A partir dos dados analisados, observou-se que quando comparados com os dados da flora, o número de espécies levantadas da fauna foi bem mais expressivo, sendo a grande maioria destas de vertebrados. Todavia, assim como em outros trabalhos analisados, poucas espécies de invertebrados foram levantadas, o que abre uma lacuna para aprofundamento de estudos acerca deste grupo, visto sua importância ecológica para os diversos ecossistemas. Conclui-se que ainda é incipiente o conhecimento acerca da diversidade faunística e florística do Parque Estadual Pedra da Boca, assertiva esta válida, infelizmente, para todo o bioma Caatinga. Diante do exposto, faz-se necessário ampliar o conhecimento e os estudos acerca dos recursos biológicos da caatinga e do Parque Estadual Pedra da Boca.

Veja o artigo completo: PDF