Resumo Trabalho

APROVEITAMENTO DE RESÍDUOS PROVENIENTES DA EXPLORAÇÃO SUSTENTÁVEL DE MADEIRA NO SEMIÁRIO POTIGUAR

LUCAS JEAN NUNES, ANGELICA DE CASSIA OLIVEIRA CARNEIRO, RENATO VINÍCIUS OLIVEIRA CASTRO, ANA LUIZA DA SILVA LOPES e orientado por ROSIMEIRE CAVALCANTE DOS SANTOS e orientado por ROSIMEIRE CAVALCANTE DOS SANTOS

O presente trabalho teve como objetivo caracterizar o potencial de utilização de resíduos de Comiphora leptophloeos (imburana-de-espinho) provenientes da exploração florestal do Plano de Manejo Florestal Sustentado, na produção dos pellets. Para tanto, foram realizadas análises de densidade a granel, poder calorífico superior e teor de cinzas dos resíduos. Os pellets foram produzidos em teor de umidade de 6%, em base seca da biomassa, sob a temperatura de 95 °C. E, posteriormente avaliados de acordo com a umidade de equilíbrio higroscópico, densidade a granel, o poder calorífico superior, o teor de cinzas, o diâmetro e comprimento, a durabilidade mecânica e produção de “finos”, sendo assim, essas características foram comparadas com a norma ISO 17225-2 para pellets para madeira. Foram realizadas estatísticas descritivas (tendência central e dispersão) para as variáveis analisadas a fim de avaliar a qualidades dos pellets. Especificamente, com média e desvio padrão. De modo geral, as partículas de imburana com 6% de umidade proporcionaram uma produção de pellets com boas propriedades físicas, químicas e mecânicas, atendendo maior parte dos parâmetros exigidos pela norma de peletização, exceto ao padrão de durabilidade mecânica do pellet. Conclui-se que os resíduos de C. leptophloeos apresentam potencial para produção de pellets, uma vez que atendem às exigências da norma ISO 17225-2 para pellets de madeira, exceto para a durabilidade mecânica. Recomenda-se, portanto, outros estudos com parâmetros que influenciam sob a referida propriedade.

Veja o artigo completo: PDF