Resumo Trabalho

ASPECTOS ETNOBOTÂNICOS, FITOQUÍMICOS E FARMACOLÓGICOS DA SAMBUCUS AUSTRALIS CHAM. & SCHLTDL. (SABUGUEIRO)

MACIEL DA COSTA ALVES, ANA HOSANA DA SILVA e orientado por CLÁUDIA PATRÍCIA FERNANDES DOS SANTOS e orientado por CLÁUDIA PATRÍCIA FERNANDES DOS SANTOS

Sambucus australis (sabugueiro), espécie arbórea pertencente à família Adoxaceae, nativa, distribuída em várias regiões do Brasil, incluindo a região Nordeste, é frequentemente cultivada como ornamental e também empregada para fins medicinais. Embora semelhante à espécie naturalizada, Sambucus nigra, esta apresenta discretas diferenças que facilitam o seu reconhecimento. Seu emprego medicinal inclui o tratamento de problemas respiratórios, quadros febris, como diurética e anti-inflamatória. Por ser uma planta medicinal empregada no tratamento de várias enfermidades, objetivou-se analisar e sintetizar dados existentes acerca da utilização, atividades farmacológicas e composição fitoquímica, por meio dos achados científicos, da S. australis. Para a pesquisa bibliográfica foram incluídos artigos que relatavam resultados de estudos etnobotânicos, farmacológicos e fitoquímicos, consultados a partir de diferentes bases de dados, publicados nos últimos dez anos. De acordo com os dados etnobotânicos, a S. australis é usada principalmente no tratamento de problemas respiratórios como gripes, resfriados e seus sintomas, embora estas não possuam comprovação científica, apenas etnofarmacológicas, que justifiquem o uso desta espécie em tais condições clínicas. Somente a indicação como anti-inflamatória apresentou evidências científicas permitindo sua comprovação farmacológica. Outras propriedades medicinais encontradas através dos achados científicos, incluem as ações, antibacteriana, antiobesidade, antiproliferativa, pediculicida e carrapaticida. Quimicamente, possui flavonoides, fenóis e terpenos, extraídos principalmente das folhas e flores. Os terpenos foram identificados como os componentes ativos responsáveis pela atividade antibacteriana, e antiobesidade. Por meio dos resultados apresentados, não foi possível obter uma forte relação entre o uso popular da S. australis e as atividades farmacológicas comprovadas cientificamente, em que apenas a indicação como anti-inflamatória, mencionada pelo conhecimento popular, foi confirmada farmacologicamente.

Veja o artigo completo: PDF