Resumo Trabalho

O INFANTICÍDIO E A VIOLAÇÃO DOS DIREITOS HUMANOS DAS MÃES INDÍGENAS

Autor(es): ILANA DRIELE MENDES DA CUNHA LIMA, RENATA ESTRELA SILVA GUIMARÃES, JHONATAS GONÇALO TAVEIRA DA SILVA, DAYANA MARIA ALVES BRITO e orientado por JOSÉ FLOR DE MEDEIROS JÚNIOR e orientado por JOSÉ FLOR DE MEDEIROS JÚNIOR

O presente artigo teve como escopo o estudo do infanticídio voltado para análise dos direitos humanos das mães indígenas no cenário nacional, que após o parto são obrigadas socialmente em suas aldeias a assassinar seus filhos recém nascidos, quando na cultura de suas tribos julgam o nascimento de uma criança que tem alguma deficiência ou alguma enfermidade prejudicial à aldeia, bem como, o infanticídio de recém nascidos de famílias numerosas, por questão meramente organizacional. O infanticídio de meninas também é observado, por questões de organização da tribo, quando os membros desta, não acham conveniente nascer uma mulher, pois não esta não contribuiria nas tarefas fundamentais de caça e pesca, por exemplo. A tradição obriga, igualmente, mães de gêmeos a assassinarem uma de suas crianças por crenças religiosas da tribo. Neste sentido, perpassando desde uma construção histórica até o presentem momento, bem como a analise do relativismo cultural que abrange essa temática não inovadora, no entanto de difícil debate.

Veja o artigo completo: PDF