Resumo Trabalho

AMBULATÓRIO DE HOMEOPATIA EM UNIDADE DE SAÚDE DE PEDIATRIA: POR QUE NÃO CONTINUAR?

Autor(es): BERENICE FERREIRA RAMOS

Homeopatia é um método terapêutico vitalista que fundamenta-se no tratamento integral, contínuo, objetivando a melhoria permanente do estado de saúde. O Ministério da Saúde lançou, em 2006, a Política Nacional de Práticas Integrativas e Complementares, incentivando estados e municípios a inserirem tais práticas em seus serviços de saúde. Entre estas práticas encontra-se a homeopatia. O Estado da Paraíba inseriu a homeopatia no Complexo Pediátrico Arlinda Marques. O ambulatório de homeopatia, que constitui a base deste relato, funcionou efetivamente de 2008 a 2011. Os atendimentos aconteciam em dois dias da semana. O acesso se dava por meio de encaminhamentos ou demanda espontânea. As consultas eram sempre realizadas com o uso de prontuários individuais e constavam de anamnese minuciosa, exame físico completo, diagnóstico clínico e medicamentoso, orientações gerais, prescrição de medicamento e agendamento da consulta de retorno. Os dados contidos neste relato são oriundos dos relatórios elaborados a cada final de ano, que eram entregues à direção da Unidade, que ainda continha as dificuldades enfrentadas e sugestões para melhoria do serviço prestado. Nos quatro anos referidos foram atendidas 1.532 crianças. Cerca de 34% destas crianças realizaram, pelo menos, uma consulta de retorno. A faixa etária predominante foi a de 1 a 4 anos (43,3%). A principal causa das consultas foi relacionada aos sintomas respiratórios (55,1%) e o medicamento mais prescrito foi Sulphur (212). A demanda, que iniciou pequena, foi crescendo com o passar do tempo, havendo aumento da continuidade do tratamento, através das consultas de retorno das crianças portadoras de distúrbios crônicos, possibilitando o conhecimento da eficácia do tratamento, por meio da melhora do estado de saúde das crianças e pela satisfação dos pais. As dificuldades sentidas durante a experiência foram: a falta de divulgação do serviço, que limitava o acesso; e o fato de concentrar os atendimentos em dois dias da semana, o que também reduzia o acesso, bem como impossibilitava o acompanhamento das crianças nos casos de intercorrências. Não há dúvidas em relação à eficácia da homeopatia no tratamento e prevenção de diversas afecções e na promoção da saúde. Os custos são baixos. A aceitação por parte da população é muito boa. Assim, temos motivos suficientes para ampliar a oferta da terapia homeopática nos serviços públicos. A inserção da homeopatia, ou de qualquer outra Prática Integrativa e Complementar em Saúde, por si só não implica na oferta contínua e de qualidade. É necessário o entendimento, por parte da gestão e de todas as equipes de saúde, dessas práticas, a fim de que a rede de serviços de saúde seja organizada para recebê-las. A descontinuidade do ambulatório de homeopatia no Complexo Pediátrico Arlinda Marques ocorreu porque não houve esta organização, que diz respeito, principalmente, ao acesso dos usuários ao serviço, insumos, divulgação e informação.Estes fatores são indispensáveis para que alcancemos a efetividade e eficiência dos serviços ofertados.

Veja o artigo completo: PDF