Resumo Trabalho

O CANABIDIOL NO TRATAMENTO DA ANSIEDADADE

Autor(es): JOHN LENNON ARAÚJO LUCENA, PAOLLA JESSICA DA CUNHA, ELLEN TATIANA SANTOS DE ANDRADE, RAQUEL MOREIRA DE LIMA e orientado por SAULO RIOS MARIZ

INTRODUÇÃO: A ansiedade é definida como uma espécie de sofrimento por antecipação de algo desconhecido ou estranho. É caracterizado pelo sentimento desagradável de apreensão, medo e insegurança em algumas situações. Mesmo considerado vantajoso em resposta a certas situações, há pessoas que desenvolvem quadros desproporcionais a determinadas circunstâncias (D’EL REY, PACINI, CHAVIRA, 2006). O objetivo desse trabalho foi buscar na literatura a eficácia do CBD no tratamento da ansiedade. METODOLOGIA: O presente trabalho é um estudo descritivo e exploratório, do tipo revisão integrativa, com abordagem quantitativa. Dos 130 encontrados, foram utilizados 5. Os critérios para elegibilidade dos artigos foram: publicados entre 2004 e 2017, disponíveis na íntegra, escritos em inglês e português e que apresentassem a relação do CBD como um potencial ansiolítico. Os bancos de dados utilizados foram PubMed e Scielo. RESULTADOS E DISCUSSÃO: Em pesquisas feitas com humanos saudáveis, administrou-se o CBD (1mg/kg) juntamente com uma elevada dose de delta-9-THC (0,5mg/kg) e resultou em uma diminuição dos sintomas ansiogênicos proporcionados pelo delta-9-THC (PEREIRA JUNIOR, 2013). Em experimentos comparativos realizados com diazepam (10mg), ipsapirona (5mg) e o CBD (300mg) em um procedimento duplo cego comprovaram que tanto o CBD, quanto os dois ansiolíticos citados tiveram resultados positivos na redução da ansiedade induzida pela SFP (CRIPPA, ZUARDI E HALLAK, 2010). Outro teste utilizado pelo mesmo método, o duplo cego cruzado, onde os sujeitos receberam o CBD (400mg) ou placebo em duas sessões experimentais, com intervalo de uma semana sendo avaliados por meio do SPECT, apresentou resultados de que o CBD apresente efeito ansiolítico (CRIPPA et al., 2004). Estudos feitos com administração do CBD sob uma alta dose não promoveu efeitos colaterais e tóxicos significativos e nem mesmo induziu efeitos sedativos (MOREIRA, MEDEIROS E CARDOSO, 2015). Os efeitos modulatórios do CBD na ativação de áreas límbicas e paralímbicas são consistentes com o efeito de drogas ansiolíticas em pacientes com transtornos ansiosos e em sujeitos saudáveis (TRZESNIAK E CRIPPA, 2008). CONCLUSÕES: Como visto nos trabalhos utilizados para essa revisão, o CBD pode ser um recurso terapêutico interessante no tratamento da ansiedade, levando ainda em consideração que não possui efeitos colaterais significativos.

Veja o artigo completo: PDF