Resumo Trabalho

PERFIL DOS USUÁRIOS QUE REALIZAM A AURICULOTERAPIA NA USF NOVA CONQUISTA

Autor(es): MARIA DO SOCORRO TRINDADE MORAIS, CLÁUDIA MARIA DA SILVA BRITO, GLEICIA SOUZA DA SILVA LOPES, JANAÍNA MEDEIROS DE OLIVEIRA SOUSA e orientado por MARIA DO SOCORRO TRINDADE MORAIS

Nas últimas décadas, nas sociedades ocidentais, expandiu-se uma revalorização das PICs, com uma maior procura das populações por cuidados não biomédicos, em paralelo ao uso continuado da biomedicina. Tal procura remontam ao final da década de 1960, essa procura se deve a um revalorização de práticas de cuidado à saúde consideradas mais naturais. Ressalta-se que um local de excelência para sua prática nos sistemas públicos de saúde tem sido a atenção primária à saúde, em virtude dos tipos de adoecimentos presentes, sendo grande parte quadros iniciais inespecíficos, mais sensíveis a cuidados estimuladores da autocura. O objetivo deste trabalho é apresentar o perfil dos usuários que buscam a auriculoterapia na USF Nova Conquista. Foi realizado um levantamento através das fichas de acompanhamentos dos usuários, dos seguintes dados: sexo, idade, área e micro-área. Os dados mostram que o maior número de usuários corresponde ao sexo feminino, adulto, sendo área II e a micro-área V mais prevalentes. Destacamos que a área II foi a que teve o maior número de profissionais que participaram do curso, o que pode ter influenciado na sensibilização dos usuários, e consequentemente em maior adesão. Culturalmente as mulheres são mais abertas às terapias integrativas e complementares, além disso, são elas que procuram com mais frequência os serviços de saúde, repercutindo diretamente na demanda da unidade. Um local por excelência para a prática da auriculoterapia nos sistemas públicos tem sido a atenção básica, em virtude de fácil acesso e acompanhamento por um longo período, grande aceitação pela população, crescente interesse dos profissionais de saúde, repercutindo no aumento da procura.

Veja o artigo completo: PDF