Resumo Trabalho

UMA AÇÃO DE EDUCAÇÃO EM SAÚDE SOBRE A MUSICOTERAPIA PARTIR DO PROTAGONISMO DA PRÁTICAS INTEGRATIVAS E COMPLEMENTARES

Autor(es): MAÍRA FREIRE MARTINS, VÂNIA CRISTIAN SOUSA DA LUZ, QUÉZIA LAIS DE SOUZA AZARIAS e orientado por BENEDITA ABREU LEÃO

As Práticas Integrativas e Complementares (PIC’s) são recursos que envolvem abordagens buscando estimular os mecanismos naturais de prevenção de agravos e recuperação da saúde. A musicoterapia está inclusa pela sua ampla diversidade no qual melodia, ritmo e outros elementos musicais são utilizados para fins terapêuticos (1). O trabalho tem como objetivo descrever a importância da musicoterapia como modalidade complementar no processo terapêutico, baseada na abordagem de educação para saúde, numa ação sinérgica e potencializa sobre as PIC’s. Trata-se de um estudo descritivo tipo relato de experiência vivenciado durante uma ação de educação em saúde sobre as PIC’s realizada em novembro de 2016 no Centro Cultural Tancredo Neves (CENTUR) em Belém – PA. Com base na nova Política Nacional de Praticas Integrativas e Complementares (PNPIC) do Ministério da Saúde, realizou-se uma ação educativa. A ação foi executada através de diálogo informativo sobre musicoterapia estimulando o bom humor, aumentando a disposição e consequentemente, reduzindo a ansiedade, o stress e a depressão (2). Nesse contexto, foi discutido sobre os campos de atuação e os benefícios das PIC’s, já que essa inclusão no SUS tem acontecido de forma gradual, havendo necessidade de pesquisas nessa área. Na dinâmica, foi aplicado a musicoterapia com a dança, demostrando como a música age terapeuticamente no físico e no emocional. Essa dinâmica é recomendada para idosos, pois induz a movimentação corporal e trabalha o sistema neurológico. Após a atividade houve relatos de desconhecimento dessas práticas para tratamento terapêutico. De modo geral, a aceitação da atividade foi positiva, mesmo que algumas pessoas não tivessem o conhecimento sobre a importância das PIC’s. Esta ação permitiu inferir que há necessidade de divulgar essas práticas para abranger maior número de pessoas. 1. AZEVEDO, E. PELICIONI, M. C. F. Práticas Integrativas e Complementares de Desafios para a Educação. Trab. Educ. Saúde, Rio de Janeiro, v. 9 n. 3, p. 361-378, nov.2011/fev.2012. 2. MONTEIRO, D. H. M. FERMOSELI, A. F. O. Musicoterapia: Contribuição Como Ferramenta Terapêutica no Auxilio a Tratamentos de Patologias Adversas Inseridas no Âmbito da Saúde. Ciências Biológicas e da Saúde, Maceió. v. 2. n.2. p. 91-110. Nov 2014.

Veja o artigo completo: PDF