Resumo Trabalho

USO DE REIKI E AURICULOTERAPIA NO TRATAMENTO DE DEPRESSÃO E ANSIEDADE: UM ESTUDO DE CASO

Autor(es): JORGE DE OLIVEIRA GOMES, ALESSANDRA ARAÚJO DE SOUZA e orientado por JORGE DE OLIVEIRA GOMES

Neste trabalho apresentaremos o Estudo de Caso com o relato de atendimentos utilizando Reiki e Auriculoterapia no tratamento, por dois meses, de um paciente do sexo masculino com sessenta e um anos (61) que apresentava um quadro de depressão aguda e crônica, somada a ansiedade. O paciente em questão há mais de 20 anos tomava remédios controlados (Clonazepam (0.5 mg) e Cloridrato de sertralina.). Queixava-se também da dificuldade de interagir com as pessoas e falta de disposição para fazer as tarefas diárias, preferindo sempre se isolar. Aposentado, passava a maior parte do tempo em casa e tinha certo pânico frente à idéia de sair de casa. Ansiava por um tratamento que o ajudasse, efetivamente, a lidar com as questões emocionais que, segundo ele, se manifestavam associadas a situações de pressão e conflitos no ambiente de trabalho. Em 1995 ele começou a se tratar com remédios de uso controlado. Um para controlar a ansiedade durante o dia e outro para conseguir dormir. Ele se tornara dependente dos remédios, tendo tentado diversas vezes parar o uso, sem sucesso. Em uma conversa casual em que tivemos com ele e a esposa falando sobre as PICS, o paciente se interessou bastante, já que sentia que os remédios não haviam proporcionado melhora significativa. Dificuldade de relacionamento no casal, dada a variação de humor e atitude de isolamento do esposo. Nossa proposta foi de usar Reiki e Auriculoterapia poderia facilitar seu relaxamento, e um certo realinhamento energético. A escolha de parar como o remédio foi do paciente, pois era algo que o incomodava. Ela percebia que o quadro de ansiedade e dificuldades emocionais não havia melhorado com os remédios e ansiava para um tratamento que melhorasse de fato o aspecto emocional. O fim do uso dos remédios não era o objetivo inicial, mas se revelou na maior conquistar para esse paciente. Percebemos que dependência dos remédios colaborava para o agravamento do quadro de depressão. As alterações de humor ainda ocorrem, mas até o momento atual, com relação ao tratamento da dependência química e da Crise de Abstinência, o verificou-se que ele encontrava-se mais ativo e mais relaxado para lidar como as situações cotidianas. Outro resultado é o financeiro: este é material e é mensurável. Segundo relatos, o custo é apenas cinco por cento de um tratamento alopático. Verifica-se, também que este modelo de tratamento, ao ser implementado como uma Política da Saúde Pública (PICS) nos Hospitais e outras instâncias poderão produzir um impacto significativo na diminuição dos investimentos (e gastos) em saúde. Investiga-se, ainda as possibilidades de Sustentabilidade deste processo, considerando que em suas bases repousa o Humanismo e a Fenomenologia, em pois cada atendimento, exercita-se a condição de resolutividade com relação à sobrevivência do paciente em meio a uma Crise Moral e Ética pela qual passa a sociedade nos dias atuais. Tudo são mensagens que o paciente cidadão precisa desenvolver um equilíbrio sociopsicoecoemocional diuturnamente. Este trabalho nos mostra que o Reiki e a Auriculoterapia podem ajudar significativamente o ser humano.

Veja o artigo completo: PDF