Resumo Trabalho

DE BEM COM A VIDA: VIVÊNCIAS NO ESTÁGIO DE ATENÇÃO PRIMÁRIA COM PRÁTICAS INTEGRATIVAS E COMPLEMENTARES EM SAÚDE.

Autor(es): CRISTIANE CHAVES DE OLIVEIRA LIMA, MATHEUS OLIVEIRA LACERDA e orientado por ALINE DO NASCIMENTO FALCÃO FREIRE MONTE

A Política Nacional de Atenção Básica define como prioridade das equipes de Atenção Primária à Saúde (APS) a prevenção e a promoção de saúde, buscando a integralidade na construção do cuidado. Porém a promoção da saúde física parece ter prioridade no contexto da Estratégia de Saúde da Família, em detrimento da saúde mental, especialmente para usuários que apresentam ou já apresentaram sintomatologia depressiva ou ansiedade. De bem com a vida foi um grupo terapêutico elaborado e conduzido pelos alunos estagiários de fisioterapia da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN) no ano de 2017.1, na Unidade Básica de Saúde de Mãe Luiza, localizada no município de Natal/RN, no qual o objetivo era a promoção da saúde, melhora da saúde mental de pacientes com algum comprometimento leve e consequentemente o aumento da qualidade de vida. Em sua grande maioria, os pacientes apresentavam diagnóstico de ansiedade generalizada e eram encaminhados pelas médicas da unidade para participar do grupo, do dia 22/03 até o presente momento, entretanto, nesse trabalho serão descritas as atividades até o dia 12/04 que caracteriza a fundação e os quatro primeiros encontros do grupo. Embora modalidades de Praticas Integrativas e Complementares em Saúde (PICS), como a acupuntura, seja reconhecida como uma especialidade da fisioterapia, a inserção do fisioterapeuta na APS ainda é limitada e menos ainda é observado o trabalho do fisioterapeuta no contexto da saúde mental. Por isso experiências com (PICS), Atenção Primária à Saúde (APS) e saúde mental na graduação do fisioterapeuta ainda são pouco exploradas. O presente relato traz uma possível inserção da fisioterapia na saúde mental no contexto da APS através de ações de promoção da saúde. Para construir o cuidado em saúde e fortalecer o Sistema Único de Saúde (SUS), é importante planejar ações e inserir-se na rede de atenção à saúde observando as necessidades objetivas de saúde da população. Para tanto, a ampliação de práticas na comunidade, utilizando cenários reais é necessária para a formação de um profissional de saúde contextualizado com os problemas biopsicossociais das localidades próximas onde atuará.

Veja o artigo completo: PDF