Resumo Trabalho

EFEITOS DOS FLORAIS DE BACH EM INDIVÍDUOS COM TRANSTORNOS PSICOLÓGICOS

Autor(es): RENAN ALVES SILVA, KELVIN ALUZIMAR OLIVEIRA CRUZ , FRANCISCO ELIZAUDO DE BRITO JUNIOR, MARIA IZABELA BARBOSA e orientado por GENI OLIVEIRA LOPES

O controle da ansiedade e da depressão é o elemento fundamental para a prevenção de diversos transtornos psicológicos. Sem esse autocuidado, o tratamento farmacológico não atinge sua estabilidade clínica muitas vezes. Uma alternativa complementar para melhorar essa dificuldade seria através dos Florais de Bach. O objetivo do presente estudo foi identificar os efeitos terapêuticos dos Florais de Bach para os transtornos psicológicos na tentativa de conhecer a utilidade desta prática integrativa. Trata-se de uma revisão integrativa da literatura para a identificação dos efeitos terapêuticos das essências florais de Bach nos transtornos psicológicos durante os meses de julho e agosto de 2017. Utilizou-se a estratégia PICO através dos seguimentos: população, intervenção, comparação e desfechos. Para a seleção dos artigos utilizou-se acesso on-line a três bases de dados: Lilacs, Scielo e Google Acadêmico a partir dos últimos cinco anos publicados. Os descritores controlados foram: Essências Florais, Medicina Integrativa, Stress, Depressão e Ansiedade. O presente estudo buscou 18 artigos, dentre os quais 11 foram excluídos por não retratarem relevância em relação à temática. Os dados foram organizados na categoria de utilização dos florais para estresse e ansiedade com ênfase nos transtornos psicológicos. Sete florais de Bach demonstraram especificidade para as ondas de baixo humor, são eles: Sinapis arvensis, Gentiana amarela, Pinus sylvestris, Olea europaea, Ulmus procera, Carpinus betulus e Bromus ramosus. Percebeu-se também forte influência cultural nos florais Pinus sylvestris e Bromus ramosus e viabilizando uma deficiência de pesquisa para estes em específico. Com a presença de solidão, os florais citados foram: Hottonia palustres, Impatiens grandulifera e Calluna vulgaris. No caso do Hottonia palustres demonstrou eficácia para as pessoas que são capazes e seguras de si, mas não conseguem fazer amizades íntimas e afetuosas. Nesse contexto, é importante ressaltar que o relato identificado é de características de personalidade e não a um transtorno psicológico de forma bem determinada. Considera-se também que os florais não causam efeitos colaterais, embora possa não dar o resultado desejado, caso a prescrição não tenha sido adequadamente indicada. Portanto, não existe contraindicação, e sim, uma indicação errada. A eficácia da terapia é maior em pessoas que sofrem com estresse e ansiedade com uma rotina de tarefas ou a presença de problemas familiares e um pouco menor com os transtornos psicológicos por causa de maior complexidade de problemas psicossomáticos. Em decorrência da enorme dificuldade em relação a pesquisas sobre o assunto em questão é possível observar com clareza o quão é visível a carência de estudos nessa área. Por se tratar de uma terapia tão eficaz e que é pouco reconhecida, se faz necessário a realização de capacitações junto aos profissionais de saúde acerca do assunto tornando-a mais acessível.

Veja o artigo completo: PDF