Resumo Trabalho

HORTA E VIDA: INTEGRANDO EDUCAÇÃO AMBIENTAL E PRÁTICAS COMPLEMENTARES PARA PROMOÇÃO DA SAÚDE NA ATENÇÃO BÁSICA

Autor(es): FRANCISCO ELIZAUDO DE BRITO JUNIOR, RENAN ALVES SILVA, ANA LIGIA NEVES DA LUZ LUNA, MAURICIO LIMA DA SILVA e orientado por MARIA DO SOCORRO VIEIRA LOPES

Introdução: a educação ambiental desempenha um importante papel na área da saúde, desenvolvendo-se como instrumento de desenvolvimento de políticas públicas saudáveis, reforçando ações nas comunidades e desenvolvendo habilidades pessoais. Ainda, destaca-se como elemento essencial e fortalecedor para o reconhecimento das práticas integrativas e complementares em saúde, pois, favorece a consolidação de espaços destinados a realização dessas práticas. A horta consiste em um modelo que permite relacionar a educação ambiental com educação alimentar e valores sociais, tornando possível a participação dos sujeitos envolvidos, desenvolvendo uma sociedade sustentável por meio de atividades voltadas para promoção da saúde. O objetivo desse estudo é relatar as experiências advindas da construção e desenvolvimento de uma horta para produção de hortaliças e ervas nas dependências da Unidade Básica de Saúde do Crato-CE, envolvendo diversos atores sociais da comunidade, permeando as dimensões social, cultural e ambiental da coletividade assistida por esse serviço. Método: O presente trabalho, de caráter descritivo, relata a experiência da implementação de uma horta para produção de hortaliças e ervas nas dependências da unidade básica de saúde do Crato-CE, no período de 07/2016 à 07/2017, espaço esse que favorece a prática das terapias integrativas e complementares a saúde na referida unidade. Resultados: o desenvolvimento deste projeto foi produto das discussões interdisciplinares de alunos e docentes da Saúde Ambiental e Terapias Complementares e Integrativas do curso de graduação em Enfermagem da Universidade Regional do Cariri, com a criação de um projeto de Extensão, denominado “Horta e vida: um modelo de sustentabilidade e promoção da saúde na atenção básica”. Nesse sentido, destaca-se que durante a execução foram desenvolvidas as seguintes etapas: sensibilização e mobilização da comunidade; capacitação técnica; implementação e manutenção da horta; educação ambiental e ações de promoção da saúde e da qualidade de vida. Conclusão: constata-se que a horta é um espaço de observação, pesquisa e ensino sobre ecologia e educação ambiental, práticas integrativas e complementares em saúde e promoção da saúde, além de propiciar a interação homem/meio ambiente estimulando a realização de um trabalho interdisciplinar. Os resultados obtidos com a experiência da horta deverão ser ampliados para todas as unidades do município estimulando pesquisas visando a sustentabilidade ambiental e promoção da saúde.

Veja o artigo completo: PDF