Resumo Trabalho

PRÁTICA INTEGRATIVA E COMPLEMENTAR: A IMPORTÂNCIA DA DANÇA CIRCULAR NA POPULAÇÃO IDOSA,UM RELATO DE EXPERIÊNCIA.

Autor(es): FERNANDA ANTUNES DA SILVA, MARILEIDE CAVALCANTE DO NASCIMENTO e orientado por FLÁVIO CÉSAR BEZERRA DA SILVA

INTRODUÇÃO: No Brasil, em 2006 foi implementado a Política Nacional de Praticas Integrativas e Complementares no SUS, pela portaria nº 971 de 3 de maio (BRASIL, 2015). A dança sagrada circular não foi mencionado na política nacional, mais foi adicionada na tabela de procedimentos especiais do SUS (SILVA, 2016). Isso aconteceu através da portaria do Ministério da Saúde, nº 404 em 15 de abril de 2016, que recebeu a descrição de: práticas realizadas em grupo que utilizam abordagens especificas com movimentos corporais e músicas na atuação da terapia (SILVA, 2016). Dessa forma a dança circular desempenha um papel como estratégia de intervenção a ser trabalhada com grupos de idosos das unidades básicas de saúde, por parte dos profissionais de enfermagem que se tornam uma peça chave na vida da população idosa, que se encontra em crescimento devido ao perfil epidemiológico da população. Essa observação despertou o interesse de investigar: qual a importância da dança circular sagrada na vida das pessoas idosas? A motivação para esse trabalho surgiu a partir das vivencias nas aulas práticas de campo e estágios durante a graduação de enfermagem em Unidades Básicas de Saúde. Percebeu-se também uma deficiência relacionada aos conhecimentos da dança circular sagrada por parte de alguns profissionais, e a falta de orientação dos benefícios que a prática dessa atividade proporciona aos usuários dos serviços de saúde. OBJETIVO: Para responder ao questionamento anterior, objetivou-se: Identificar a importância da dança circular na vida da pessoa idosa e refletir como a enfermagem contribui para esse processo. METODOLOGIA: Trata-se de um relato de experiência, baseado na vivência acadêmica obtida durante os estágios em unidades básicas de saúde, o estudo também foi elaborado a partir de revisão de literatura em bases de dados. O público alvo foram grupos de idosos de Candelária localizado em Natal- RN e de Parnamirim centro- RN, alguns idosos estavam acompanhados por familiar. A oficina teve duração de uma hora, realizada na própria unidade de saúde, levando em conta a limitação física de alguns participantes. Contamos com o auxílio de um aparelho de som com pen drive, logo em seguida desenvolveu-se uma roda de conversa para ouvir e compartilhar experiências. RESULTADOS: Por meio da interação direta com os grupos de idosos, verifica-se que apesar da dança circular ser um instrumento simples considera-se rico em resultados positivos. Ressalta-se que a dança circular em sua aplicação trabalha a prevenção de doenças que podem surgir nas pessoas idosas que são isoladas ou se isolam ou que são excluídas da sociedade. A enfermagem contribui mediando esse canal de comunicação que precisa de forma humanizada prestar cuidado aos idosos das unidades básicas de saúde. CONCLUSÃO: Observou-se que a dança circular com grupo de idosos estimulou o contato humano, trabalhou a comunicação e o convívio em sociedade, permitiu aos integrantes absorver novas experiências, proporcionou melhor compreensão do sentimento de solidão e angustias que o processo do envelhecimento gera no indivíduo.

Veja o artigo completo: PDF