Resumo Trabalho

A UTILIZAÇÃO DA AROMATERAPIA COMO MEDIDA COMPLEMENTAR AO TRATAMENTO DA ANSIEDADE

Autor(es): OLENKA MONTE, ALINE RODRIGUES DA CUNHA, JADE PINHEIRO GURGEL NEVES e orientado por TAYSSA SUELEN CORDEIRO PAULINO

INTRODUÇÃO: A ansiedade é definida como um sentimento ou sensação de características psicológicas frente a uma situação de perigo ou medo no qual o organismo se adapta replicando respostas fisiológicas comportamentais e cognitivas (DOMINGO, E.M; BRAGA, T.S, 2013). Com a mudança do modelo de atenção à saúde mental, medidas voltadas a desospitalização são ajustadas tendendo a uma abordagem psicossocial e multidisciplinar, além da redução do uso de drogas psicoativas, objetivando medidas preventivas e menos medicamentosas e hospitalocêntricas (BRASIL, 2008).Com a finalidade de integrar e equilibrar o processo psíquico e físico a aromaterapia vem sendo atribuída como uma ferramenta coadjuvante na terapêutica relacionada a distúrbios da ansiedade, pois promove o bem estar físico e mental além da prevenção e quando complementada ao tratamento medicamentoso promove uma significativa recuperação. Assim sendo, o objetivo do trabalho é descrever a utilização da aromaterapia como medida complementar ao tratamento da ansiedade (PAGANINI, T; SILVA, F.Y, 2014). METODOLOGIA: Trata se de pesquisa descritiva do tipo revisão bibliográfica dos artigos científicos, consultas em periódicos e livros disponibilizados no banco de dados da Scientific Electronic Library Online (Scielo) e Literatura Latino-Americana e do Caribe em Ciências da Saúde (Lilacs).Para a construção do trabalho foram utilizados descritores: “ansiedade”, “fitoterapia”, “aromaterapia” e “práticas integrativas” RESULTADOS E DISCUSSÃO: O transtorno da ansiedade é uma condição desproporcional de medo e ansiedade persistentes que acometem o ser humano interferindo nos sistemas: físico, cognitivo e somático (ESTANISLAU, G.M; BRESSAN, R.A., 2014). O tratamento consiste em medicamentos prescritos a médio e longo prazo (ansiolíticos e quando necessário antidepressivos) associado a psicoterapia cognitivo-comportamental e métodos de relaxamentos. A aromaterapia entra como coadjuvante ao tratamento não medicamentoso abordando o paciente de forma holística (mente e corpo) buscando a prevenção e o bem estar através da diminuição da ansiedade com as plantas ansiolíticas. A terapia se utiliza do produto do metabolismo vegetal: os óleos essenciais, nos quais ficam armazenados em bolsas ou tricomas nas plantas, sendo extraídos de forma natural ou mecânica, através da prensa e ou destilação Sua configuração de utilização é dividida em três técnicas aplicáveis: ingestão, inalatória ou tópica. Sendo a inalatória a mais eficaz devido a suas propriedades (voláteis) e seu baixo peso molecular.Podemos citar a lavanda (Lavândula officinalis) um ansiolítico natural, bastante utilizado, sendo composto pelos elementos químicos: álcool alifático terciário, lianol e o éster de acetato de linalilo substâncias responsáveis pelo efeito calmante e que auxiliam no bem estar por sua essência atuar na glândula adrenal diminuindo a tensão, inquietude e insônia. CONCLUSÃO: Portanto, se faz mister destacar que o processo das terapias não medicamentosas, como a aromaterapia, tem um fator com resultados importante na manutenção, contribuição e preservação da saúde mental, e consequentemente física pois proporciona um relaxamento e calmante ao processo de ansiedade pelas ervas com propriedades terapêuticas eficientes. Além de de baixo custo, sendo acessível a todas as classes sociais podendo abranger uma clientela maior.

Veja o artigo completo: PDF