Resumo Trabalho

USO DA MEDITAÇÃO DURANTE PERÍODO GESTACIONAL E SEUS BENEFÍCIOS NO MOMENTO DO PUXO

Autor(es): CARINE GISLAINE DA SILVA, HINGREDY CRISTINA SOUTO MAIOR SILVA, ALÉXIA GYOVANNA R. MENEZES DE MOURA, MARIA EDUARDA VASCONCELOS SILVA RIBEIRO e orientado por GÊSSYCA ADRYENE DE MENEZES SILVA

Introdução: A respiração quando realizada de forma lenta e profunda proporciona ao indivíduo bem-estar, sendo primordial na gestação, uma vez que interfere na vida da gestante e no crescimento do feto. A prática utilizada pela Medicina Tradicional Chinesa que auxilia no controle da respiração é a meditação, que utiliza técnicas envolvendo a consciência com relaxamento muscular, sendo auto-induzido. No período expulsivo do parto as parturientes tendem a ficar ansiosas, não conseguindo manter uma respiração adequada, sendo interessante perceber se a meditação no período gestacional auxilia na hora do puxo (esforços expulsivos), já que ela utiliza técnicas de respiração na sua execução. Então, o objetivo desse estudo foi analisar a relação da meditação durante o período gestacional e seus benefícios no momento do puxo. Materiais e métodos: Trata-se de uma revisão de literatura tendo como bases de dados: Literatura Latino-Americana e do Caribe em Ciências da Saúde (LILACS), Scientific Electronic Library Online (SciELO) e Medical Literature Analysis and Retrieval System Online (MEDLINE) a partir dos descritores: Meditação, Respiração, Gestação e Parto. Como critérios de inclusão artigos relacionados ao controle da respiração no puxo e a prática da meditação na gestação, excluindo artigos que não foram publicados em português, inglês ou espanhol. Foram utilizados uma portaria do Ministério da Saúde e cinco artigos. Resultados e discussão: Estudos mostram que o desconforto na hora do parto é provocado por uma tríade “Medo - Tensão – Dor”, uma vez que isso ocorrendo dificulta a dilatação do colo do útero, que atrelado a isso está a respiração no momento do puxo, já que quando ele é prolongado pode causar fadiga materna e exaustão, além de laceração perineal e edema. Para obter melhora nessa tríade se faz necessário manter uma respiração controlada e um relaxamento ativo (físico e mental), sendo encontrado em mulheres que praticam a meditação durante a gestação, já que ela melhora o retorno venoso, relaxamento, alívio das dores e bom-humor, liberando assim a ocitocina, hormônio que facilitará o parto. É primordial o auxílio de profissionais da enfermagem na condução da respiração no momento do puxo proporcionando um parto mais humanizado. Conclusão: A meditação é uma prática bastante eficaz em vários momentos inclusive na gestação, já que proporciona no momento expulsivo um conforto maior a mulher, devido a mesma conseguir manter uma respiração adequada.

Veja o artigo completo: PDF