Resumo Trabalho

QUESTÕES DE SAÚDE NA COMUNIDADE QUILOMBOLA DE TIJUAÇU, SENHOR DO BONFIM – BA

Autor(es): ELIANA DO SACRAMENTO DE ALMEIDA e orientado por CARMÉLIA APARECIDA SILVA MIRANDA

Trata-se de uma pesquisa que discorre sobre a saúde da comunidade quilombola de Tijuaçu, grupo étnico de maior representatividade da região de Senhor do Bonfim-Ba. Apresentou como objetivo realizar um estudo investigativo sobre as práticas preventivas e curativas em saúde na referida comunidade. Pesquisa-ação, exploratória, inspirada na fenomenologia Husserliana e contou com a participação de integrantes da comunidade, lideranças políticas e religiosas, professores e profissionais da Estratégia de Saúde da Família da localidade. Como instrumentos para construção dos dados foram utilizados questionário estruturado, entrevista semi-estruturada e grupo focal para aprofundar as discussões. Realizou-se análise de conteúdo, segundo Bardin, através da triangulação de dados. Os resultados sócio-epidemiológicos apontaram para uma coerência entre a visão dos líderes e dos integrantes da comunidade em relação aos determinantes de vida e as condições de vulnerabilidades persistentes na comunidade, contudo demonstram divergência quanto às práticas preventivas e curativas de saúde envolvendo a utilização de ervas medicinais, rezas e benzeções, comprometendo assim a implementação das ações preconizadas pela Política Nacional de Saúde Integral da População Negra, evidenciando que a comunidade vive, em sua maioria, em condições de vulnerabilidades persistentes, e, em sua maioria, apresentam padrões alimentares inadequados; apresentam não somente, dificuldades de acesso aos serviços de saúde, mas integralidade da assistência comprometida por precariedade e/ou inexistência de serviços estruturados para referência e sobretudo apresentam risco de perda de sua identidade cultural. Deste modo, se faz necessário intensificar ações de combate ao racismo institucional e conscientização acerca da cultura afro-brasileira e das práticas de medicina tradicionais de matriz africana.

Veja o artigo completo: PDF