Resumo Trabalho

EFEITO INIBITÓRIO DO EXTRATO DE CRANBERRY SOBRE BIOFILME PERIODONTOPATOGÊNICO: REVISÃO INTEGRATIVA

Autor(es): ATMÃ GOMES TRINDADE e orientado por KENIO COSTA DE LIMA

O combate a infecções orais biofilme-dependentes envolve o emprego de antibióticos sintéticos que frequentemente estão associados à resistência bacteriana e efeitos adversos. Os fitoterápicos, como o cranberry, surgem como uma alternativa de tratamento. Objetivo: avaliar, por meio de uma revisão integrativa da literatura, a eficácia do extrato de cranberry sobre culturas e biofilmes de bactérias periodontopatogênicas. Metodologia: foram identificados estudos in vitro e in vivo, os quais avaliaram a ação do extrato de cranberry sobre o crescimento e coagregação de bactérias periodontopatogênicas e formação de biofilme periodontal. As estratégias de busca foram realizadas nas bases de dados “Cochrane Library”, “MEDLINE”, “Web of Science”, “Scopus”, “LILACS”, “Scielo” e “Google Acadêmico”, utilizando os seguintes termos: "Vaccinium macrocarpon"; "cranberries"; "cranberry"; "Biofilms"; "Periodontitis"; "Chronic Periodontitis"; "Aggressive Periodontitis"; "Periodontal Diseases" and "periodont*”. Resultados: foi identificado um baixo número de trabalhos que avaliaram a eficácia do extrato de cranberry na doença periodontal e nenhum estudo em humano foi relatado. Em geral, os trabalhos verificaram que os compostos inibiram de maneira eficaz a formação do biofilme de Porphyromonas gingivalis e Fusobacterium nucleatum quando concentrações iguais ou superiores a 62,5 µg ml-1 foram usadas. No entanto, tais compostos não inibiram o crescimento bacteriano de maneira significativa e nem foram capazes de promover a desagregação do biofilme já formado. Conclusões: apesar de a maioria dos trabalhos apresentarem certas limitações metodológicas, os estudos relatados demonstraram um efeito inibidor do cranberry sobre bactérias periodontopatogênicas. Tais resultados servem de subsídio para o desenvolvimento de outros estudos que avaliem o veículo mais efetivo e a concentração ideal a ser empregada sem causar efeitos adversos nos tecidos orais.

Veja o artigo completo: PDF