Resumo Trabalho

A PROMOÇÃO DA SAÚDE ATRAVÉS DA TERAPIA COMUNITÁRIA INTEGRATIVA: REVISÃO DA LITERATURA

Autor(es): MITLENE KALINE BERNARDO BATISTA, ANA SIBELE DE CARVALHO MENDES, ISABELA FERREIRA DA SILVA, MARIETA ZELINDA DE ALMEIDA FREITAS e orientado por ANA SIBELE DE CARVALHO MENDES

INTRODUÇÃO: A Terapia Comunitária Integrativa (TCI) foi desenvolvida em 1987 pelo Professor Dr. Adalberto Barreto do Departamento de Saúde Comunitária da Faculdade de Medicina da Universidade Federal do Ceará, ela é definida como uma metodologia de intervenção em comunidades, por meio de encontros interpessoais e intercomunitários. Seu objetivo é a promoção da saúde através da construção de vínculos solidários, valorização das experiências de vida dos participantes, da restauração da autoestima e ampliação da percepção dos problemas e possibilidades de resolução a partir das competências locais (PADILHA; OLIVEIRA, 2012). Dada a sua relevância social a TCI vem crescendo em todo o território brasileiro e também em outros países do mundo, desse modo, compreendendo a força da TCI, os objetivos deste estudo foram o de analisar as evidências da aplicabilidade da TCI no campo da promoção da saúde, como subsídio para a tomada de decisão e a melhoria das práticas em saúde, além de apontar lacunas do conhecimento, fonte geradora de novos estudos. METODOLOGIA: Trata-se de uma Revisão Integrativa da Literatura, as buscas foram realizadas nas bases de dados LILACS e SciELO por meio da utilização dos seguintes descritores: Práticas integrativas e complementares de saúde; Terapia comunitária e Roda de terapia. Os critérios de inclusão dos estudos foram artigos científicos com texto disponibilizados na íntegra nas bases de dados referidas; divulgados em português; publicados no período compreendido entre 2012 a 2017, com temática abrangendo as TCI. RESULTADOS E DISCUSSÃO: Foram identificados 93 estudos na base de dados LILACS, que após uma análise minuciosa, 9 se adequavam aos critérios de inclusão. Na base de dados SciELO localizou-se 58 estudos, dos quais 8 estavam adequados aos critérios de inclusão, entretanto 4 encontravam-se indexados na LILACS, concomitantemente. Assim, foram excluídos 4 estudos por não atenderem aos critérios e 4 estudos inclusos. Desta forma, totalizou-se uma amostra final de 13 estudos nesta revisão integrativa. Em relação ao ano de publicação, verificou-se um predomínio de estudos nos anos de 2012 e 2013, ambos com 5 artigos em cada ano, já nos anos 2015, 2016 e 2017 foram encontrados apenas 1 artigo em cada ano. Sobre a autoria dos estudos, observou-se que 8 estudos foram publicados por enfermeiros, 4 por equipes multiprofissionais e 1 foi pelo terapeuta ocupacional. Constatou-se uma grande diversidade de periódicos, sendo os mais prevalentes a Revista de Pesquisa: Cuidado é fundamental online e a Revista Gaúcha de Enfermagem com 2 artigos cada. Vale salientar que dos 13 estudos analisados, 8 se referem a pesquisas voltadas para a área da saúde pública. Fazendo uma analise mais minuciosa das pesquisas levantadas, observamos que a maioria dos estudos com grupos usando a TCI avaliaram como positivos os resultados. CONSIDERAÇÕES FINAIS: Por meio da realização desta Revisão Integrativa da Literatura foi possível observar que a maioria dos estudos sobre a TCI se concentram na área de enfermagem, sendo a maior parte das publicações realizadas nos anos de 2012 e 2013, necessitando assim, expandir mais pesquisas sobre outras áreas de conhecimento e estudos mais recentes sobre o assunto.

Veja o artigo completo: PDF