Resumo Trabalho

NÍVEL DE CONHECIMENTO, ACESSIBILIDADE E ACEITAÇÃO DAS PRÁTICAS INTEGRATIVAS E COMPLEMENTARES POR USUÁRIOS DO SISTEMA ÚNICO DE SAÚDE NA CIDADE DE JUIZ DE FORA/MG

Autor(es): GUSTAVO LEITE CAMARGOS, ALEXANDRE AUGUSTO MACEDO CORREA e orientado por ARIEL GUALTIERI

Introdução: Uma das principais lutas sociais travadas em prol da melhoria e garantia dos serviços públicos de saúde é a da promoção do acesso a estes serviços. O conceito de acesso é complexo, envolvendo vários aspectos que descrevem a adequação entre os clientes e o sistema de cuidados de saúde, tais como disponibilidade, aceitabilidade, capacidade de pagamento e informação. A avaliação destas dimensões permite identificar a existência de equidade ou iniquidade no acesso aos serviços de saúde. Objetivo: O presente estudo teve como objetivo avaliar o nível de conhecimento (informação), acessibilidade e a aceitação das PICs do SUS pelos usuários da cidade de Juiz de Fora, MG. Metodologia: Trata-se de um estudo transversal de caráter descritivo, realizado na cidade de Juiz de Fora, MG, no período de julho de 2017. A coleta de dados ocorreu em quinze bairros, que possuíam Unidade de Atenção Primária à Saúde (UAPS). Foi utilizado um questionário sociodemográfico e, questões fechadas que estavam relacionadas às PIC em saúde: nível de conhecimento, acessibilidade e aceitação. Resultados: A amostra foi composta por 90 mulheres e 60 homens com média de idade de 42,7 (± 17,2) anos. Uma média de 68,7% responderam que conhecem alguma prática integrativa. Dos entrevistados 38,8% relataram conhecer alguém que já utilizou algum dos serviços avaliados, sendo que nas categorias que representam o nível bom e muito bom de conhecimento não foram registrados nenhuma prática avaliada. Quando questionados se conhecem algum especialista, uma média de 21,5% afirmou que sim. Uma média de 19,2% relatou já ter utilizado uma das práticas. Uma média de 53,9% apresentou interesse em utilizar alguma das práticas listadas. Por fim 96% dos avaliados relataram que gostariam que alguma das práticas fosse oferecida pelo SUS. Conclusão: Os dados obtidos no estudo permitem concluir que existe um bom nível de conhecimento sobre os tipos de serviços que são oferecidos pela PNPIC, pelos usuários do SUS de Juiz de Fora, MG. No entanto percebe-se baixa utilização dos mesmos, o que poderia estar associado a diversos fatores, como nível de conhecimento dos profissionais, disponibilização de informações sobre os serviços, necessidade pela utilização dos mesmos, facilidade na marcação e deslocamento para o atendimento, dentre outros. Afim de ampliar o conhecimento e aumentar a credibilidade das PICs é necessário a realização de estudos longitudinais bem controlados para demonstrar os resultados das práticas estabelecidas. Além disso, deve-se estimular a divulgação de informações a respeito das mesmas, tanto para os profissionais de saúde quanto para os usuários, pois esta aquisição de informação se torna peça chave para a escolha oportuna do tratamento.

Veja o artigo completo: PDF