Resumo Trabalho

AVALIAÇÃO DE CUSTO-EFETIVIDADE DAS PRÁTICAS INTEGRATIVAS E COMPLEMENTARES NO CUIDADO ÀS DOENÇAS CRÔNICAS

Autor(es): CAMILLA MARIA FERREIRA DE AQUINO, ADRIANA FALANGOLA BENJAMIN BEZERRA, ISLANDIA MARIA CARVALHO DE SOUSA e orientado por ISLÂNDIA MARIA CARVALHO DE SOUSA

Diante do crescente impacto das Doenças Crônicas Não Transmissíveis (DCNT), e considerando sua lenta evolução e a forte influência dos determinantes sociais de saúde no seu desenvolvimento, no âmbito do Sistema Único de Saúde (SUS), aponta-se a Atenção Básica de Saúde (ABS) como o lócus de cuidado das DCNT. Instituídas como Política Nacional em 2006, as Práticas Integrativas e Complementares (PIC) contribuem com a multiplicidade de métodos, técnicas e teorias no cuidado na APS para as doenças crônicas. Todavia, na perspectiva do serviço público de saúde, tem sido pouco explorada a efetividade das PIC, apesar da crescente busca de usuários com DCNT por as mesmas e o consequente gasto privado e necessidade de ampliação de recursos financeiros e técnicos no SUS. Por se tratar de uma maneira diferente de cuidados as PIC exige que os métodos habituais de cálculo em economia da saúde sejam adaptados. Dessa forma, objetivou-se estimar o custo-efetividade das PIC inseridas nos serviços públicos quanto ao cuidado das DCNT adaptando as metodologias da avaliação econômica. Trata-se de avaliação econômica, tipo custo-efetividade, utilizando a perspectiva do sistema de saúde. O estudo se propõe a comparar as PIC, em termos de custo e efetividade, em relação à prática convencional, ofertadas a usuários do Recife com DCNT, atendidos na Unidade de Cuidados Integrais à Saúde Prof. Guilherme Abath (UCISGA). O estudo dividiu-se em quatro momentos: identificação do perfil de atendimentos e processo de cuidado da unidade; apuração de custos das atividades selecionadas; verificação da efetividade no cuidado das doenças crônicas; e cálculo da razão de custo-efetividade. Para a coleta e análise dos dados, consideram-se quatro grupos de avaliação: grupo do cuidado convencional (ABS), e outros três grupos formados por práticas da UCIS selecionadas. Em avaliação preliminar, o custo geral da UCISGA em 2014 foi estimado a partir do sistema de custeio por absorção em R$1.148.270,26, o significado desse valor em custo unitário por usuário, considerando o universo de 32.016 usuários atendidos na Unidade neste período, foi de R$35,87. Estudos que avaliam a efetividade das PIC dentro de uma abordagem que valorize a singularidade e complexidade destas, juntamente com a apuração dos custos das PIC realizadas em serviços públicos, são escassos. O ineditismo da proposta apresenta a oportunidade de ofertar informações que subsidiam a prática cotidiana e o processo de gestão.

Veja o artigo completo: PDF