Resumo Trabalho

QUEM SÃO OS INDIVÍDUOS QUE PROCURARAM A AURICULOTERAPIA PARA TRATAMENTO PÓS-CHIKUNGUNYA? ESTUDO TRANSVERSAL

Autor(es): YÃNSLEY ANDRÉ SENA TAVARES, DAYANE CRISTINE SOUSA SANTIAGO, ÁGUIDA MARIA ALENCAR FREITAS, ARIADNE ARAUJO OLIVEIRA e orientado por BERNARDO DINIZ COUTINHO

Introdução: A Febre Chikungunya é uma arbovirose causada pelo vírus Chikungunya (CHIKV), que desencadeia sinais e sintomas como febre, artralgia e dor muscular, que pode causar desde a redução da funcionalidade e da qualidade de vida até o óbito no indivíduo infectado. A artralgia iniciada na fase aguda (0 a 15 dias) pode permanecer na fase crônica da doença (>90 dias) e reduzir a amplitude de movimento articular, a velocidade da marcha, a mobilidade funcional e a realização de atividades de vida diária, atividades laborais e de lazer. Este estudo tem por objetivo identificar o perfil dos indivíduos com queixas de dor secundária a Febre Chikungunya que procuraram o tratamento da Auriculoterapia ofertado pelo projeto GAIPA-UFC na atenção básica. Metodologia: Estudo observacional descritivo, transversal, retrospectivo, com coleta de dados secundários nas fichas de avaliação dos pacientes que relataram Febre Chikungunya e que foram atendidos pelo projeto de extensão Grupo de Atenção Integral e Pesquisa em Acupuntura e Medicina Tradicional Chinesa (GAIPA-UFC), vinculado ao Departamento de Fisioterapia da UFC, no período 06/2016-05/2017. Os dados dos 86 indivíduos atendidos no período foram coletados considerando as variáveis sócio-demográficas e de saúde. A tabulação e análise dos dados foram realizadas utilizando-se o software Microsoft Office Excel 2013, e serão apresentadas de forma descritiva. Resultados e Discussão: A população estudada constituiu-se prioritariamente por indivíduos do sexo feminino (91,9%), de cor parda (50,0%), faixas etárias entre 40 a 60 anos (45,0%), com ensino médio de instrução (47,7%) e que se encontravam aposentados (31,4%) ou com trabalho remunerado (24,4%). Hipertensão Arterial Sistêmica foi a comorbidade mais prevalente dentre as principais doenças crônicas não-trasmissíveis. Na fase inicial da doença, dor articular ou/muscular esteve presente em 94,2% dos indivíduos, e os serviços de saúde da atenção básica e hospitalares foram os mais buscados para primeiro contato com o profissional de saúde. Os membros inferiores foram os mais acometidos pela dor (52,3%), classificada como de alta intensidade (47,4%), e que se manifestou pela primeira vez na maioria dos indivíduos (65,1%) somente após a infecção pelo CHIKV. A maioria dos indivíduos relataram dificuldade para realização das atividades de vida diária (89,5%) apresentando limitação para mobilidade (58,1%), segundo os valores apresentados para o teste Timed Up and Go considerando como ponto de corte o tempo de 10 segundos. Conclusão: A população estudada constituiu-se prioritariamente por mulheres em idade adulta, com nível médio de escolaridade, aposentadas ou inseridas no mercado formal de trabalho, e que se encontravam na fase crônica da Chikungunya. Apesar de fazerem uso de medicamento analgésico e antiinflamatório, buscaram tratamento com Auriculoterapia devido a presenças de dor de alta intensidade, mais freqüentes nos membros inferiores, e se encontravam em um estado de limitação da mobilidade e dificuldade na execução das atividades de vida diária.O perfil dos pacientes se mostrou apropriado para o cuidado na atenção básica, e a realização de estudos que avaliem a custo-efetividade das Práticas Integrativas e Complementares, como a Auriculoterapia, para o manejo dos problemas de saúde apresentados devem ser realizados.

Veja o artigo completo: PDF