Resumo Trabalho

BENEFÍCIOS DA INSERÇÃO DA FITOTERAPIA E MUSICOTERAPIA COMO PRÁTICAS INTEGRATIVAS E COMPLEMENTARES DE SAÚDE NA ATENÇÃO PRIMÁRIA.

Autor(es): RAMYRES STEPHANE COSTA SILVA e orientado por ESP. ANIUSKA VANESSA COUTINHO GERMANO

A atenção primária é reconhecida como um conjunto de ações de saúde no âmbito individual e coletivo. Suas ações envolvem a promoção e proteção da saúde e prevenção de agravos. Norteia-se pelos princípios da universalidade, da integralidade, do vínculo, da continuidade do cuidado, da responsabilização, humanização, equidade e da participação social, considerando o sujeito na sua singularidade e deve ser a principal porta de entrada e centro de comunicação da Rede de Atenção à Saúde. A utilização das práticas complementares de Fitoterapia e Musicoterapia mostraram-se prevalentes como ferramentas benéficas, especialmente na Atenção Primária, para os profissionais e usuários dos serviços de saúde. À vista disso, o objetivo deste estudo é descrever os benefícios da inserção das práticas de fitoterapia e musicoterapia na atenção primária. O estudo trata-se de uma revisão bibliográfica. A busca ocorreu através das bases de dados eletrônicas LILACS e SCIELO no período de Julho a Agosto, totalizando dez artigos. Utilizaram-se os descritores: atenção primária, enfermagem e terapias complementares. Os critérios de inclusão foram estudos publicados na língua portuguesa, textos completos e que compartilhassem da temática e objetivo proposto. E quanto aos critérios de exclusão, destacam-se artigos duplicados, em forma de resumos, carta ao editor e que fugissem da temática. Nos últimos anos com a insatisfação da biomedicina envolvendo iatrogenias, métodos invasivos e caros, foco na doença e não no paciente, contribuíram para o aumento da visibilidade com relação às práticas de fitoterapia e musicoterapia em especial na atenção primária, a qual proporciona o humanismo com relação ao medico-paciente, estímulo às forças curativas do organismo e menor risco de dano. Alguns benefícios ressaltados na utilização dessas práticas são: a troca de saberes; a corresponsabilização; o estreitamento do vínculo entre a comunidade e a equipe de saúde; o empoderamento da população e profissionais em relação à forma de cuidado, além de proporcionar sensações de prazer, alegria, conforto, apoio psicoemocional, aumento da autoestima, vitalidade, motivação, alivio da tensão, da agonia, da tristeza, redução do estresse, diminuição de solidão e ansiedade. A pesquisa aponta os diversos benefícios trazidos com a inserção das práticas de fitoterapia e musicoterapia, mostrando-se necessárias para fornecer uma atenção integralizada, em especial na Atenção Primária. Pois, configura-se numa modalidade de intervenção na saúde que foge do modelo biomédico curativista, considerando o homem como um todo e não de forma fragmentada.

Veja o artigo completo: PDF