Resumo Trabalho

TENDA DO ABRAÇO COMO NOVA TECNOCOLOGIAS DE ACOLHIMENTO E CUIDADO EM SAÚDE MENTAL

Autor(es): JACKELINE DE FREITAS COSTA e orientado por TIAGO ROCHA PINTO

INTRODUÇÃO: O acolhimento pode ser definido como “uma ação de aproximação, um “estar com” e um “estar perto de”, ou seja, uma atitude de inclusão” (BRASIL,2006). Neste ideário, o acolhimento constitui-se mais do que um espaço físico nas Unidades Básicas de Saúde (UBS) destinado à realização da pré-consulta pelo técnico de enfermagem, onde são coletadas informações da queixa principal no intuito de agilizar o atendimento médico a posteriori. A partir da perspectiva da fragilidade e insuficiência do modelo tradicional na produção da integralidade do cuidado em saúde, é que a equipe multiprofissional de residentes em conjunto com os profissionais de uma equipe da Estratégia de Saúde da Família (ESF) tem desenvolvido novas formas de promover o acolhimento concatenado às particularidades requeridas na área da saúde mental. Assim, o presente estudo tem o objetivo de apresentar a Tenda do Abraço enquanto uma nova ferramenta de cuidado em saúde mental na Atenção Primária a Saúde (APS). METODOLOGIA: A tenda do braço é realizada em duas áreas de abrangência, com duas UBS de referência na cidade de Currais Novos-RN. É realizada em um espaço aberto para pessoas que foram convidados pelos os Agentes Comunitários de Saúde – ACS e os passantes, o ambiente é decorado, com a finalidade de tornar o ambiente mais leve e acolhedor. Os usuários são recepcionados com chás e sucos fitoterápicos com efeitos calmantes (sabor e terapia) e técnicas de relaxamento ou música ao vivo com voz e violão. Em seguida, todos são convidados para debater a temática escolhida para o dia (depressão, suicídio, violência domestica). Toda tenda termina com um grande abraço coletivo e com a reflexão do papel de cada um sobre a vida do outro, a importância do acolhimento e escuta. RESULTADOS: Os encontros se configuram na produção de sentidos atribuídos por meio de cada relato e trocas de conhecimentos, com outras percepções e novos direcionamentos sobre o sofrimento psicológico, tanto para o usuário como para a atuação profissional na atenção básica a saúde. Também foi perceptível que a tenda do abraço nos possibilita a reflexão e problematização de um cuidado em saúde mental que garanta maior integralidade, com uma abordagem politica, participativa e dialogal. CONCLUSÃO: Através da utilização desta ferramenta, tem sido possível o desenvolvimento de novas percepções e possibilidades de cuidado em saúde mental pela própria equipe da ESF.

Veja o artigo completo: PDF