Resumo Trabalho

O USO DE PLANTAS MEDICINAIS E FITOTERÁPICOS COMO TRATAMENTO ALTERNATIVO NA ASMA

Autor(es): YANNE CELESTE SILVA DE MEDEIROS , MIRLA MIRELY DANTAS FERREIRA, MARCUS VINICIUS DUTRA DOS SANTOS, RENATA ARAUJO DOS SANTOS e orientado por FANCINALVA DANTAS DE MEDEIROS

A asma é uma doença genética que atinge uma grande parte da população mundial, provoca tosse, dor no peito e falta de ar, por sua cronicidade dispõe de medicamentos que apenas abrande os sintomas, sendo as principais formas de tratamento o uso de broncodilatadores e corticoides. Por atingir principalmente crianças e ter efeitos indesejáveis causados pelos medicamentos, a procura por meios alternativos de tratamento ganha destaque, buscando a fitoterapia como alternativa terapêutica, principalmente devido a sua tradicionalidade de uso. Sendo, o objetivo do trabalho avaliar, por meio de uma revisão da literatura, a eficácia do uso de fitoterápicos e plantas medicinais no tratamento da asma. Para isso, foi realizada uma revisão da literatura, utilizando os bancos de dados, Scielo, Google Scholar e Scienc Direct, tendo como descritores fitoterapia, asma e plantas medicinais, no qual teve como critérios de inclusão artigos publicados no período de 2010-2017. Assim, foi observado que as crianças compõem a maior taxa populacional atingida pela asma o que explica a prática da medicina tradicional ser feita principalmente por mães que recorrem a indicações populares como meio de gerar conforto a vida familiar. Fato que torna preocupante, pois muitas vezes não é relatado ao médico, e esses pacientes são um grupo que necessita de atenção especial, pois as preparações advindas de plantas medicinais possuem um conjuntos de substâncias, muitas vezes desconhecidas. Dentre as preparações utilizadas se encontram infusões, xaropes ou cocções como também garrafadas feitas por partes de plantas ou ela toda. Foi observado o uso em conjunto das plantas, Allium sativum L., Lippia graveolens, Matricaria chamomilla, que são espécies bastante usadas e que há relatos de eficácia, sendo o Allium sativum L. uma das principais plantas utilizadas no combate a asma. Outras espécies muito citadas nos artigos, são a Peumus boldus, Allium cepa L., Citrus limonium, Beta vulgaris L., Cymbopogon citratus, Sambucus sp e a Aloe vera. Em um estudo, com amostra de 62 asmáticos 77,08% apresentou melhora no controle da doença usando uma mistura de Allium sativum L., Lippia graveolens,Matricaria chamomilla. Em comparação a outro estudo com amostra de 158 pessoas asmáticas, 26,5% relataram apresentar melhorar, com o uso principalmente das espécies Lippia alba, Cymbopogon citratus, Foeniculum vulgare, Matricaria chamomilla e Peumus boldus enquanto 69,0% não percebem nenhum benefício². Foi demonstrado que a melhora advinda do uso de plantas e fitoterápicos veio com o passar de dias, comprovando que o tratamento deve ser contínuo e que quando associado ao tratamento alopático evidenciou melhor adesão. Com isso, pode-se comprovar a eficácia e segurança do uso de plantas medicinais no tratamento da asma, e muitas dessas espécies encontram-se listadas na farmacopeia. Por isso, os profissionais de saúde devem ser capacitados ao fim de promover o uso racional das plantas medicinais, bem como passar informações e sempre indagar se o paciente faz uso ou não da prática, respeitando o conhecimento cultural, e que o tratamento alopático deve ser continuado, principalmente se tratando de asma grave.

Veja o artigo completo: PDF