Resumo Trabalho

AVALIAÇÃO DA ATIVIDADE ANTITUMORAL DOS COMPOSTOS DO LÁTEX DE EUPHORBIA TIRUCALLI DINAMIZADO

Autor(es): LUANA SAYURI OKAMURA, MARIA DAS GRAÇAS MORAIS DE MEDEIROS, MATHEUS MERSON DE ARAÚJO SILVA, YANNE CELESTE SILVA DE MEDEIROS e orientado por FRANCINALVA DANTAS DE MEDEIROS

Câncer é a nomenclatura dada a um conjunto desordenado de células que se proliferam de forma agressiva e autônoma, representando 17% dos casos de óbito e a segunda causa de morte da população brasileira. Apresenta diversos tratamentos, sendo o mais utilizado a quimioterapia que, no entanto, causa diversos efeitos devido à ocorrência de interações medicamentosas ou reações adversas. No intuito de minimizar estes efeitos, o uso das Práticas Integrativas e Complementares tem se mostrado muito importante na qualidade de vida dos pacientes com câncer. E dentre estas práticas, o uso de plantas medicinais é a mais comum, como a Euphorbia tirucalli ou aveloz, nome popular, que produz um líquido leitoso ou látex, que tem apresentado resultados positivos com relação ao tratamento de doenças de natureza tumoral. Dessa forma, esse estudo objetivou a avaliação das dinamizações do látex de E. tirucalli e os compostos responsáveis pela atividade carcinogênica. A metodologia utilizada foi realizada a partir de uma revisão bibliográfica, dos quais foram selecionados 19 artigos, entre os anos de 1997 a 2016. Os resultados obtidos indicaram que o uso do látex de E. tirucalli dinamiza, quando aplicada a lei dos semelhantes, já havia sido descrito por Samuel Hahnemann em indicações clínicas similar aos quadros de neoplasias malignas. No Brasil, a partir do médico nordestino Lauro Neiva foram realizados outros estudos no intuito de esclarecer como o látex de E. tirucalli se comportava no organismo humano, assim como sua real efetividade contra o câncer. No entanto, através das dinamizações do material vegetal, foram apresentadas diferentes posologias aplicadas, assim como, também, não foi possível definir os compostos responsáveis pela atividade antitumoral. Porém, observou-se que o uso desta planta medicinal para tratamento de doenças graves é extremamente difundido no Brasil. Sendo concluído que os fatores apresentados podem gerar riscos de automedicação pela população, necessitando realizar mais estudos com relação as suas dinamizações e sua atividade carcinogênica, no intuito de proporcionar uma segurança e esclarecimento sobre os benefícios e os riscos do uso do látex do aveloz.

Veja o artigo completo: PDF