Resumo Trabalho

AURICULOTERAPIA COMO PRÁTICA INTEGRATIVA COMPLEMENTAR EM UMA UNIDADE DE SAÚDE DA FAMÍLIA NO MUNICÍPIO DE JOÃO PESSOA-PB: UM RELATO DE EXPERIÊNCIA

Autor(es): TEREZINHA PAES BARRETO TRINDADE, AELSON MENDES DE SOUSA, FABRICIO DE AZEVEDO MARINHO, JULYANE FEITOZA COELHO

INTRODUÇÃO: A Auriculoterapia, como Prática Integrativa Complementar em Saúde (PICS), está associada à Medicina Tradicional Chinesa e é comumente praticada por profissionais do Sistema Único de Saúde (SUS). Este relato de experiência descreve a implantação da mesma em uma Unidade de Saúde da Família (USF) do município de João Pessoa-PB e objetiva apresentar a funcionalidade e a contribuição desta prática na Atenção Básica (AB) para melhorar a qualidade do cuidado e estimular o desenvolvimento de outras experiências em PICS na AB. METODOLOGIA: O público alvo foi usuários e trabalhadores do SUS. O fluxo de acesso à terapia consistiu em: 1- Acolhimento à demanda espontânea e referenciada advinda de áreas adscritas ou não à USF; 2- Escuta qualificada pela auriculoterapeuta; 3- Agendamento programado para auriculoterapia em 10 sessões com frequência semanal; 4- Demanda em espera. Todos os usuários foram convidados a participarem mensalmente do grupo terapêutico de atividades educativas. A terapia foi realizada pela cirurgiã-dentista, em um turno semanal. Inicialmente foi realizada a anamnese, orientada por ficha individual em auriculoterapia. A aplicação da técnica foi unilateral, alternando-se as orelhas a cada sessão, consistindo em: 1- Antissepsia do pavilhão auricular, 2- Palpação dos pontos auriculares com uma caneta localizadora de pontos de acupuntura, 3- Aplicação de sementes de mostarda fixadas por esparadrapo. RESULTADOS E DISCUSSÂO: As intervenções mais comuns foram: terapia complementar de processos dolorosos e inflamatórios de origem musculoesquelética (68), ansiedade (43), hipertensão (36), insônia (26), depressão (17), diabetes (17), alterações do trato respiratório e processos alérgicos (16), disfunções gastrointestinais (12), menstruais (06) e odontalgias (09). Os melhores resultados, baseados nos relatos dos usuários, foram alívio e/ou cessação de algias musculoesqueléticas, estados inflamatórios diversos, ansiedade, depressão, insônia, constipação e gastrite. Foram acolhidos 145 usuários e trabalhadores do SUS. Destes, 89 já receberam sessões de auriculoterapia, totalizando 451 sessões. Em lista de espera se encontram 56 usuários. CONSIDERAÇÔES FINAIS: A auriculoterapia contribuiu na oferta de cuidado aos usuários, diante da grande procura e adesão ao serviço após sua implantação. Faz-se necessário maior envolvimento e capacitação de mais profissionais nesta prática para a ampliação da oferta da auriculoterapia na AB.

Veja o artigo completo: PDF