Resumo Trabalho

A UTILIZAÇAO DAS PLANTAS MEDICINAIS SOB A ÓTICA DOS AGENTES COMUNITÁRIOS DE SAÚDE

Autor(es): ELIZABETH CRISTINA DOS SANTOS SILVA, FABYOLA SOUTO SANTOS, JEFFERSON W C FREIRE e orientado por ALYNNE MENDONÇA SARAIVA NAGASHIMA

As plantas medicinais fazem parte dos mais antigos meios terapêuticos utilizados na prevenção, promoção ou tratamento das enfermidades. O Programa Nacional de Plantas Medicinais e Fitoterápicos incentiva ações para o uso racional desse método, pela promoção de campanhas educativas sobre as formas de uso, riscos, benefícios, indicação, posologia e formas de preparo. Essas ações podem ser desenvolvidas na Atenção Primári, fonte primordial de disseminação desse recurso terapêutico. O Agente Comunitário de Saúde(ACS) tem um papel importante no resgate desses recursos naturais, pelo trabalho de orientação sobre o uso de plantas medicinais nas comunidades. Este trabalho teve como objetivos: investigar os motivos pelos quais os ACS indicam e/ou incentivam o uso de plantas medicinais nas comunidades e conhecer as plantas medicinais mais utilizadas nas mesmas. Metodologia: A pesquisa foi realizada na cidade de Cuité, localizada no curimataú paraibano. A cidade dispõe de nove equipes de Estratégia Saúde da Família contando com52 ACS. A Seleção dos Agentes Comunitários de Saúde para participar desta pesquisa foi de forma aleatória e voluntária. A coleta dos dados baseou-se num questionário e os dados foram coletados no período de 04 à 18 de dezembro de 2014.A análise do material coletado foi realizada através de tabulação dos dados.O estudo foi submetido ao Comitê de Ética e Pesquisa com aprovação, sob n. CAAE:40213014.4.0000.5575, de acordo com as exigências impostas pela resolução 466/12 que orienta a prática de pesquisa com seres humanos. Resultados: Foram entrevistados 32 Agentes Comunitários de Saúde do município de Cuité – PB. Foi questionado aos ACS se os mesmos indicavam o uso de plantas medicinais na comunidade onde trabalham e para quais problemas de saúde da população ocorria essa sugestão, onde citaram problemas respiratórios, intestinais, ansiedade, insônia, dor de cabeça entre outros. Também foi questionado se os ACS discutem em equipe sobre o uso de plantas medicinais na Atenção Primária, onde 50% dos ACS apontaram que discutem junto com a equipe de trabalho sobre plantas medicinais, e os outros 50% não. Além disso, 99% dos profissionais que responderam o questionário acreditam ter conhecimento das plantas medicinais mais utilizadas na comunidade ao qual estão inseridos. Baseado nos resultados, torna-se interessante a precisão da capacitação desses profissionais, garantindo um cuidado qualificado no campo das práticas integrativas nos vários cenários do sistema de saúde. Conclusão: O uso das plantas medicinais possibilita uma terapêutica complementar no cuidado à saúde da população. Ë importante que a equipe da Estratégia de Saúde da Família, possa refletir sobre essa prática, levando os profissionais, em especial os ACS, a aprofundarem seus conhecimentos, e assim, interferirem de forma positiva junto à comunidade em que atuam no tocante às orientações corretas sobre o uso de plantas medicinais.

Veja o artigo completo: PDF