Resumo Trabalho

USO DE ÓLEOS ESSENCIAIS NA PROTEÇÃO CONTRA O AEDES AEGYPTI: REVISÃO DE LITERATURA

Autor(es): WILLAMS ALVES DA SILVA , IVANILDE MICIELE DA SILVA SANTOS , ALISON LUCAS BARBOZA, KELLY GUEDES DA SILVA e orientado por KRISTIANA CERQUEIRA MOUSINHO

A dengue é uma doença infecciosa de natureza viral, que é transmitida através do mosquito Aedes aegypti e considerada pela Organização Mundial da Saúde (OMS), como um dos principais problemas de saúde pública no mundo. Atualmente, o combate ao vetor é através da aplicação de inseticidas organafosforados, porém, com o uso diário e com doses cada vez mais elevadas, tem selecionado populações resistentes do mosquito. No combate a essa população resistente, há necessidade da busca de novos compostos, e com isso, os óleos essenciais dos vegetais podem ser uma possibilidade, visto que, elas apresentam compostos bioativos com atividades antimicrobianas e inseticidas. A revisão teve como objetivo, descrever os óleos essenciais presentes nos vegetais com atividade inseticida. Para realização do estudo, foi realizado um levantamento bibliográfico acerca do tema, através das principais bases de dados: Center for Biotechnology Information/U.S. National Library of Medicine (PubMed) ; Scientific Eletronic Library (Scielo) e Literatura Latino-Americana e do Caribe em Ciências da Saúde (LILACS), entre os anos de 2013 à 2017. Os óleos essenciais são misturas complexas e voláteis, que apresentam uma extensa gama de atividades biológicas, incluindo atividades inseticidas, repelentes e larvicidas. Diante dos artigos encontrados, os óleos essenciais que apresentaram proteção contra o mosquito do Aedes aegypti foram extraídos das plantas: 1- Cymbopogon nardus (Citronela); 2- Ocimum basilicum (Manjericão); 3- Myristica fragans (Noz moscada)|; 4- Citrus sinensis (Laranjeira); 5- Zingiber officinale (Gengibre); 6- Rosmarinus officinalis L. (Alecrim). Entre os óleos essenciais o que apresentou maior eficácia e com menor dose utilizada foi a Citronela, encontrado em grande parte dos artigos. A sua eficácia se justifica pela presença de compostos terpenos, com isso apresentando atividades como inibidores ou retardores de crescimento, danos na maturação, podendo levar os vetores à morte por inanição ou toxicidade direta. Os estudos encontrados mostraram que é eficaz a utilização dos óleos essenciais presentes em algumas espécies de plantas na proteção contra o Aedes aegypti.

Veja o artigo completo: PDF