Resumo Trabalho

UNINDO E COMPARTILHANDO: O MATRICIAMENTO PELA ESF COMO FACILITADOR DO ACESSO AS PICS. RELATO DE EXPERIÊNCIA.

Autor(es): TÚLIO CÉSAR VIEIRA DE ARAÚJO, MARIANA CARLA BATISTA SANTOS e orientado por DRª MARIZE BARROS DE SOUZA

A portaria nº 849, de 27 de março de 2017 inclui 14 atividades á Política Nacional de Práticas Integrativas e Complementares, dentre elas a Shantala. A prática de massagear bebés originou-se no sul da índia, em uma região chamada Kerala e foi transmitida à população pelos monges, tornando-se, posteriormente, uma tradição repassada de mãe para filha. Em meados de 1970, a Shantala foi trazida ao ocidente pelo obstetra francês Frederick Leboyer, que observou, em Calcutá-índia, uma mãe massageando seu bebê. Encantado com o vigor e a beleza dos movimentos, batizou a sequência da massagem com o nome da mulher que a realizava – Shantala. São muitos os benefícios da técnica Shantala, a começar pelo aperfeiçoamento da comunicação com a mãe ou com quem estiver fazendo a massagem, pois o processo beneficia tanto a criança quanto quem está interagindo com ela. O Matriciamento ou apoio matricial é um novo modo de produzir saúde em que duas ou mais equipes, num processo de construção compartilhada, criam uma proposta de intervenção pedagógico-terapêutica, constitui-se numa ferramenta de transformação, não só do processo de saúde e doença, mas de toda a realidade dessas equipes e comunidades. A coordenação da atenção primária do município de Jucurutu - RN percebeu que o matriciamento, constantemente abordado na saúde mental, poderia ser usado pela atenção básica e servir como alicerce para difundir o conhecimento entre os serviços de saúde do município. Esse trabalho tem como objetivo relatar a experiência desenvolvida pela equipe de saúde, que usou o apoio matricial para difundir os conhecimentos sobre shantala nos serviços de atenção básica do município. Após levantamento de dados ficou acordado que a dinâmica das oficinas aconteceria por equipe de saúde, em dois momentos e em dias distintos, sendo um momento teórico e um momento prático. Para o momento teórico foi elaborado um material na forma de slides e planejado expor o passo a passo da massagem demonstrando os movimentos em uma boneca. No segundo momento seria agendada uma oficina de shantala com os usuários do serviço em questão desta forma, as unidades podiam aliar a teoria com a prática e os usuários teriam um primeiro contato com a shantala. As nove equipes de saúde selecionadas como "público alvo" acataram a ideia e colaboraram na sua realização, tanto os profissionais como os usuários aprovaram a ideia e se mostraram entusiasmados com os ensinamentos. Hoje todas as equipes da ESF do município de Jucurutu são capacitadas na prática de Shantala. As equipes estão implementando a atividade de acordo com a rotina e disponibilidade do serviço. Atualmente a unidade de saúde Cícera Alves da Costa, implantou como rotina a shantala na consulta de Puericultura do terceiro mês. A experiência nos mostra que as equipes de saúde estão abertas ao novo, uma vez que todas as unidades de saúde aderiram a proposta de receber o matriciamento. Concluímos também, que o apoio matricial pode ser uma importante estratégia para o processo de educação continuada dos funcionários dos serviços de saúde.

Veja o artigo completo: PDF