Resumo Trabalho

PLANTAS MEDICINAIS UTILIZADAS POR COMUNIDADES INDÍGENAS BRASILEIRAS NO PERÍODO GRAVÍDICO- PUERPERAL

Autor(es): ANNA BEATRIZ ARTIGUES DE ARAUJO VIEIRA e orientado por CARLOS LUIZ PESTANA

A saúde da mulher tem sido um campo de grande preocupação e discussões ao longo de várias décadas. A vivência gestacional é um período muito peculiar na vida de uma mulher, e o nascimento do filho é uma experiência única, portanto, merecem ser tratados de forma singular e especial por profissionais qualificados, pela equipe multiprofissional, por gestores e pelo governo. Segundo a Política Nacional de praticas Integrativas e Complementares, criada em 2006, implementou no Sistema Único de Saúde ( SUS) recursos como fitoterapia, homeopatia e outros. A inserção dessas práticas são relevantes no processo de promoção da saúde e a prevenção de doenças, sob a ótica de uma olhar integral e humanizado. As plantas medicinais utilizadas nas comunidades indígenas brasileiras são um berço de conhecimento e efetividade no processo saúde- doença. Sendo assim, a relevância desse estudo é proporcionar uma discussão de tratamento complementar respeitando as particularidades de cada caso. Os objetivos desse estudo são de forma geral ampliar as possibilidades de cuidado identificando a produção de conhecimento sobre os ritos, as práticas e os costumes das mulheres indígenas brasileiras no que diz respeito ao trabalho de parto, parto e nascimento de seus filhos. Assim esperamos que, este estudo possibilite uma reflexão teórica sobre atenção ao parto, aspectos culturais e cuidados profissionais da equipe de saúde. As evidências científicas estão estimulando um numero crescente de profissionais capacitados e inclinados ao que se refere aos conhecimentos tradicionais destas práticas. A metodologia Trata-se de uma revisão integrativa de literatura de caráter qualitativo, descritivo, realizado no período de janeiro a julho de 2016, mediante da técnica de revisão sistemática em publicações virtuais. Sua finalidade foi reunir e sintetizar resultados de pesquisas, buscando identificar as práticas de cuidado na atenção ao parto e nascimento de populações indígenas, contribuindo para o aprofundamento do conhecimento do tema proposto. A busca dos artigos foi realizada nas bases de dados: Banco de Dados em Enfermagem (BDENF), Sistema Latino-Americano e do Caribe de Informação em Ciências da Saúde (LILACS), Medical Literature Analysis and Retrieval System Online (MEDLINE), National Library of Medicine (PUBMED) e Scientific Electronic Library Online (SCIELO). Numa segunda etapa da pesquisa por meio desses descritores, procedeu-se à análise crítica dos estudos, excluindo aqueles não condizentes com os critérios e com a proposta da pesquisa, bem como as produções duplicadas. Os critérios de inclusão foram: artigos com texto na íntegra, artigos que versassem sobre a temática proposta e aqueles publicados nos últimos 05 (cinco) anos da pesquisa, ou seja, de 2010 a 2015. Neste estudo foi possível construir uma tabela de plantas medicinais usadas no período gradívico-puerperal de mulheres índias. Resgatar e incentivar esses temas de discussão facilitará a uma assistência ao cuidado mais humanizada e integral. Enaltecendo a cultura popular e os conhecimentos das praticas complementares e integrativas de uma forma eficaz e baseada na pericia do exercício profissional.

Veja o artigo completo: PDF