Resumo Trabalho

MOTIVOS DO ABSENTEÍSMO ÀS CONSULTAS DE OSTEOPATIA NO AMBULATÓRIO DO POSTO DE SAÚDE DA VILA DOS COMERCIÁRIOS, EM PORTO ALEGRE / RS – ESTUDO PROSPECTIVO

Autor(es): ALESSANDRA COSTI BOLLA, NATÁLIA SALLES DA ROCHA, MÁRCIA ELISABETH RODRIGUES e orientado por MÁRCIA ELISABETH RODRIGUES

Introdução: O absenteísmo é fenômeno comum em consultas realizadas no Sistema Único de Saúde (SUS) em todo o território nacional. As faltas dos pacientes geram enorme prejuízo ao sistema de atendimento, reduzindo as chances de novos pacientes acessarem as consultas públicas, interrompendo tratamentos e incrementando, de modo desnecessário, os gastos com a manutenção do sistema. A osteopatia integra o SUS em algumas cidades brasileiras envolvendo abordagem e atenção ao indivíduo doente e não a doença, empregando o Tratamento Manipulativo Osteopatico (TMO). Portanto conhecer as causas imediatas do absenteísmo às consultas de Osteopatia agendadas no Ambulatório do Posto de Saúde da Vila dos Comerciários, em Porto Alegre/RS pode contribuir com dados para mudança deste cenário. Metodologia: Estudo prospectivo, quali-quantitativo de levantamento e análise de dados, tendo por base as respostas colhidas dos indivíduos via telefone e que integraram a população pesquisada (pacientes faltantes às consultas de osteopatia no aludido Ambulatório), a partir de questionário semiestruturado, iniciado após aprovação pelo Comitê de Ética em Pesquisa (Parecer n° 655.043/CEP/SMSPA/Porto Alegre/RS) e mediante o consentimento esclarecido oral dos entrevistados. A coleta foi realizada durante de 3 meses, os dados obtidos organizados e tabulados em planilha do Excel e analisados com programa específico (Software Package for Statistical - SPSS versão 21.0), seguindo-se a sua correspondente interpretação. Resultados e Discussão: Foram identificados, em ordem decrescente, os seguintes motivos principais para o absenteísmo investigado: 1- 33,7%, relataram o acometimento por outras patologias (diversas das que levaram à consulta de osteopatia) que impediram o comparecimento à consulta; 2- 10,9%. Relataram a perda do papel no qual foi anotada a data da consulta; 3- 10,9% relataram a circunstância de que cuidava de dependente e não pode comparecer à consulta; 4- 9,8%dos pacientes esqueceram data da consulta, embora tivesse guardado o papel com os dados correspondentes; 5- 5,4% justificaram ausência devido a existência de outras consultas ou exames na mesma data, escolhidas com prioridade sobre à consulta de osteopatia. O índice de absenteísmo encontrado (29,33%) é semelhante aos números já conhecidos e relativos a outros serviços de atendimento em saúde pública pelo Brasil. Conclusão: Os dados deste levantamento esclarecem aspectos importantes para modificação da estrutura de agendamento de pacientes em serviço público de maneira a diminuir o absenteísmo. Identificou-se que os motivos ligados ao absenteísmo estão relacionados a acometimento por outras patologias que não a motivada para consulta osteopática, perda do papel onde constava agendamento ou esquecimento da data de consulta. As mudanças para prevenir estes resultados envolvem reformas administrativas, organizacionais, operacionais, com a adoção de novas práticas no âmbito do SUS. Sugerem-se, como principais estratégias a serem implementadas, a criação de serviços telefônicos voltados ao agendamento e confirmação de consultas via telefone até 48h antes da mesma e controle das consultas após suas datas de agendamento.

Veja o artigo completo: PDF