Resumo Trabalho

MARIA GORETE XAVIER DA COSTA e orientado por DRª. MÁRCIA RIQUE CARÍCIO e orientado por DRª. MÁRCIA RIQUE CARÍCIO

A Educação está em todo lugar, na casa, na rua, na igreja e principalmente na escola. Educação é construir conhecimentos gerando a possibilidade de colocá-los em prática (FREIRE, 2003). Isto significa que a Educação começa em casa, junto à família, para depois se complementar na escola. Convivemos com a Educação todos os dias, de diversas formas, por isso a Educação também se encontra de diversas maneiras. Uma delas é a Educação Emocional. Por Educação Emocional podemos entender que é o estudo e a relação que o indivíduo tem sobre as suas emoções, pode ser considerada como o crescimento emotivo-intelectual do ser humano (WEDDERHOFF, 2017). Entendemos que, as emoções se expressam através das reações físicas e, essas reações, podem ser agradáveis ou desagradáveis, isso depende do contexto e do ambiente em que estamos inseridos, pois nosso corpo reage aos estímulos e as nossas percepções, adquiridas ao longo de nossas vidas. Portanto, se faz necessário o desenvolvimento de habilidades que permitam aprender novas maneiras de agir, a partir do entendimento com as emoções. Devemos, nesse caso, considerar a utilização da educação emocional como um processo de desenvolvimento de habilidades nos relacionamentos interpessoais. Daí a importância de se trabalhar a Educação Emocional nas escolas (WEDDERHOFF, 2017). Por Inteligência Emocional podemos entender que é a relação que o indivíduo tem com determinadas habilidades, tais como: motivar a si mesmo, persistir diante das frustações e adversidades na vida; controlar impulsos negativos; canalizar emoções positivas para situações apropriadas; praticar a gratidão e motivar pessoas, entre outras situações vivenciais. Para Goleman (1995), Inteligência Emocional é a capacidade da autoconsciência, controle de impulsos, persistência, empatia e habilidade social. Este artigo tem o objetivo geral de analisar a importância da educação emocional para o futuro pedagogo, tomando como universo de pesquisa o curso presencial e noturno de Licenciatura em Pedagogia da Universidade Federal da Paraíba (UFPB), Campus I, na cidade de João Pessoa, capital do estado da Paraíba. No que se refere aos procedimentos metodológicos, este estudo está elaborado, com base em uma metodologia qualitativa de uma pesquisa-ação (BARBIER, 2004), com dez alunos do último período do Curso de Pedagogia presencial e noturno da UFPB, como sujeitos de pesquisa; além de estar pautado em consulta de livros, artigos de revista e artigos da internet, com base nos autores que trabalham nessa área. Buscamos analisar os resultados a partir da análise de conteúdo (BARDIN, 1977), após a aplicação de uma entrevista semiestruturada. Esta pesquisa em andamento, demonstra a necessidade de se inserir o tema da Educação Emocional nos estudos de formação para futuros pedagogos, como forma eficaz para o desenvolvimento das emoções positivas desse futuro profissional que irá estabelecer relações com outras pessoas de forma mais humanizada.

Veja o artigo completo: PDF