Resumo Trabalho

MARIA EMILIA SARDELICH, BIANCA TAIANA SANTOS LINHARES ALVES, CAMYLLA RANYLLY MARQUES PAIVA e orientado por MARIA EMILIA SARDELICH e orientado por MARIA EMILIA SARDELICH

Esta comunicação apresenta os resultados alcançados por meio de um levantamento bibliográfico realizado nos Anais dos Encontros Anuais da Associação Nacional de Pesquisadores em Artes Plásticas (ANPAP) e do Congresso da Federação de Arte/Educadores do Brasil (ConFAEB), no período de 2005-2015, a fim de identificar pesquisas ou projetos de trabalho desenvolvidos no campo da Cultura Visual voltados para a Educação de Jovens e Adultos (EJA). O levantamento bibliográfico realizado nesses Anais integra-se a um projeto de pesquisa mais amplo, sobre a construção do campo da Cultura Visual na área da Educação no Brasil, no período de 2005-2015, conduzido pelo Grupo de Pesquisa em Ensino de Artes Visuais (GPEAV), vinculado ao Programa Associado de Pós-Graduação em Artes Visuais (PPGAV), da Universidade Federal da Paraíba (UFPB) e da Universidade Federal de Pernambuco (UFPE). A coleta realizada efetivou-se a partir de dois descritores: cultura visual e visualidade. Esses descritores foram selecionados em virtude da Cultura Visual ainda ser um campo de estudo emergente, em construção, com muitas divergências entre seus estudiosos em relação à sua delimitação e ao seu próprio objeto de estudo. Por essa razão optou-se pelo termo que denomina o próprio campo como também pelo conceito que diferencia a Cultura Visual de outros campos de estudo, que é o conceito de visualidade, compreendido como modos de ver. Os resultados apontam que a problemática dos modos de ver, discutida pelo campo da Cultura Visual, tem se afirmado ao longo do período em estudo, com a expressão Educação da Cultura Visual indicando o processo de formação em uma cultura em que abundam os atos visuais. Apesar do interesse crescente pela Educação da Cultura Visual, das 123 comunicações identificadas nos Anais da ANPAP, somente três focalizam a EJA, com resultados similares nos Anais do CONFAEB, com 126 comunicações e quatro comunicações na mesma modalidade. A análise dos sete trabalhos publicados revelaram alguns pontos em comum entre eles, pois partem de problemas, questões, que surgem a partir das visualidades significativas do contexto no qual se realiza o projeto. Discutem estereótipos, não só de classe social ou gênero, mas, sobretudo noções estereotipadas sobre o próprio processo pedagógico. O ponto em comum desses sete trabalhos é a característica da reflexibilidade, tanto de discentes como de docentes voltando-se para si mesmos na tentativa de compreenderem as visualidades em contexto, como também seus posicionamentos nesses contextos.

Veja o artigo completo: PDF