Resumo Trabalho

ELAINE KAREN PEREIRA DA SILVA, DÉBORAH EVELLYN FERREIRA SOUZA SANTOS, GENIR LOPES DE ALMEIDA e orientado por ANA JÚLIA RÊGO VIEIRA DA LUZ e orientado por ANA JÚLIA RÊGO VIEIRA DA LUZ

Atualmente se verifica que, no Ensino Médio, as aulas de Química são vista pelos alunos como uma espécie de “bicho de sete cabeças”, fato este, por ser uma disciplina muito complexa. Dessa forma, faz-se necessário, para melhor aceitação da disciplina e maior entendimento do seu conteúdo, a utilização, em sala de aula, de metodologias que despertem o interesse do aluno e, consequentemente, melhorem o seu relacionamento com o docente, deixando as aulas mais atrativas e prazerosas. Uma das possíveis metodologias que poderiam ser adotadas são os jogos lúdicos, que, entrelaçando ensino, descontração, motivação e atenção, concorrem para o desenvolvimento das capacidades cognitivas dos alunos e para a melhoria do convívio entre estes e o professor da disciplina, o que implica melhores resultados no processo de ensino-aprendizado. Este trabalho tem em vista a importância da utilização de jogos lúdico em sala de aula em relação ao processo ensino aprendizagem, bem como mostrar que instrumentos simples possuem um potencial imenso se bem apresentado e aplicado, possibilitando a sociabilidade e integração. Nesta proposta procuramos o aspecto lúdico com a aplicação de um jogo de “Montando as funções orgânicas”, já trabalhadas em uma sala do 3º ano do Ensino Médio do Município de Caxias-MA, desenvolvido por alunos do PIBID. É importante que o professor se mantenha atualizado quanto às ferramentas de ensino disponíveis no mercado, mas, com esse jogo, simples e de baixo custo, podemos observar que o que faz a diferença na dinamização metodológica no ensino não é a tecnologia, e sim a criatividade, o uso do lúdico em sala, desperta o interesse dos alunos. Disciplina como Química, por exemplo, que tendem a ser mais cansativas para os alunos por ter muitos elementos, fórmulas e conceitos, o uso de jogos muda essa perspectiva do aluno.

Veja o artigo completo: PDF