Resumo Trabalho

TIAGO EMANUEL DOMINGOS DE MOURA, EMILY DE VASCONCELOS SANTOS e orientado por ROGÉRIA GAUDENCIO DO RÊGO e orientado por ROGÉRIA GAUDENCIO DO RÊGO

Este artigo trata de discussão sobre a relevância dos documentos oficiais quanto à educação probabilística em nosso país. Os Parâmetros Curriculares Nacionais (PCN), publicados a partir de 1997, muito embora não tenham tido força de lei, tornaram-se importantes diretrizes para a educação básica. Em 2017 um novo documento foi formulado com o propósito de unificar a educação básica brasileira, a Base Nacional Comum Curricular (BNCC), que se encontra em sua versão final, necessitando apenas da aprovação do Conselho Nacional de Educação (CNE) para homologação. O presente artigo tem por objetivo discutir, através de um estudo qualitativo de caráter comparativo, as propostas presentes na BNCC em articulação com as propostas dos PCN, em relação ao conteúdo de Probabilidade. Os dois documentos possuem semelhanças, sobretudo destacando que o ensino de Probabilidade deve proporcionar o desenvolvimento do senso crítico dos estudantes, para que eles sejam capazes de agir com competência diante de demandas sociais, mas há diferenças quanto à ênfase dada a conteúdos do campo denominado anteriormente de Tratamento da Informação. Embora não possamos prever as transformações que a BNCC causará na educação ou se proporcionará melhorias, entendemos que poderá influenciar no ensino de Matemática, como um todo, e, particularmente, no âmbito do ensino de Probabilidade.

Veja o artigo completo: PDF