Resumo Trabalho

HÉRIKA JULIANA LINHARES MAIA, HÉRGITON TEODOMIRO LINHARES MAIA, FRANCISCO DINIZ JUNIOR

A disseminação da Educação Ambiental nas escolas é considerada como uma das formas mais eficazes para a conquista de uma identidade sustentável. Os debates mundiais sobre o meio ambiente, ocorridos nos últimos anos, estabeleceram a escola detentora do poder para desenvolver a sustentabilidade nos meios dos grupos sociais, desde que se transformassem em espaços de sensibilização ambiental, desenvolvendo o senso crítico, de mudança de comportamento, incentivando o respeito à vida e disseminando novas práticas de uso dos recursos naturais. As comunidades são ecossistemas e representam recursos potenciais para o desenvolvimento social, sendo que muitos destes recursos são latentes, subutilizados ou mal utilizados, como o caso específico do lixo reciclável. Diante da atual situação do acúmulo dos rejeitos domésticos no entorno das comunidades carentes nos grandes centros urbanos, não ficando de fora dessa péssima estatística de possuir um lixão dentro da comunidade do Catolé de Zé Ferreira, em Campina Grande – PB, sendo este ambiente de acúmulo de resíduos vizinho à Escola Estadual Antônio Guedes de Andrade. Criou-se a nessecidade de desenvolver um trabalho de sensibilização com a comunidade do Catolé de Zé Ferreira sobre a Educação Ambiental, em especial, o reaproveitamento de materiais antes denominados de lixo para transformação e/ou reaprovetamento como materiais alternativos para indagar a necessidade e a importância do reuso desses materiais jogados no lixo. Este trabalho teve como objetivo principal produzir mudas frutíferas, utilizando materiais reciclados (embalagens de leite pasteurizado) encontrados no entorno da Escola Estadual Antônio Guedes de Andrade, e a matéria orgânica produzida com os rejeitos dos alimentos da própria unidade escolar. O resultado foi surpreendente, tendo a participação de toda a comunidade.

Veja o artigo completo: PDF