Resumo Trabalho

AMANNDA DE PAULA BARBOSA e orientado por KALINA NARO GUIMARÃES e orientado por KALINA NARO GUIMARÃES

O cenário de renovação da literatura infanto-juvenil, através das obras de Monteiro Lobato, evidenciou uma nova constituição das personagens femininas e, influenciados pela obra lobatiana, alguns escritores se tornaram seus precursores, assim como Ana Maria Machado. A autora, em seu livro Bisa Bia, Bisa Bel (1981), constroem personagens femininas que rompem com os modelos dos contos de fadas e que, através de um processo em que o ser e o mundo são questionados, passam por um processo de (re)construção de identidade. Nesse sentido, considerando as teorias sobre identidade, gênero e educação, é fundamental que livros que problematizem as relações de gênero sejam discutidos em sala de aula, para que a formação do sujeito-criança seja mais crítica e solidária. A escola, por ser uma instituição de formação, deve considerar essa discussão na sala de aula, porém, essa prática não se faz presente. Por ser este um trabalho ainda em desenvolvimento, é abordado um estudo documental e bibliográfico, indagando: como promover a discussão de gênero na escola através de leituras que enfatizem a construção da identidade das personagens de uma narrativa de literatura infanto-juvenil, considerando a recepção e o contexto social em que o sujeito-criança está inserido? Para responder a essa questão, a proposta deste projeto é a aplicação de uma sequência didática e de um roteiro de leitura para uma turma do 7º ano do EF, com o intuito de compreender como a representação do gênero é interpretada pelo leitor-criança. Pretendendo, portanto, conhecer o nível de interpretação dos alunos, aplicar os produtos já mencionados, verificar as reflexões dos alunos acerca das ações dos personagens do livro e descrever e identificar a experiência didática do professor-pesquisador. Para isto, a aplicação da sequência didática e do roteiro de leitura será realizada através de aulas ministradas e registradas em um diário de campo e, também, por gravações de vídeo. A aplicação desta pesquisa está ancorada na justificativa de considerar relevante para a construção da identidade da criança a discussão sobre a questão de gênero guiada por uma forma didática que considere as leituras e interpretações do leitor-criança. Espera-se, portanto, que a discussão deste trabalho contribua para a expansão e compreensão da importância das discussões sobre gênero na sala de aula. A teoria deste projeto baseia-se em Arroyo (2011), Cademartori (1992), Carson (1995), Coelho (1993), Machado (1983), Silva (2009) e Zilberman (2003).

Veja o artigo completo: PDF