Resumo Trabalho

THIAGO SANTANA e orientado por JONAS KARLOS DE SOUZA FEITOZA e orientado por JONAS KARLOS DE SOUZA FEITOZA

Este artigo apresenta um recorte do trabalho de conclusão de curso da Graduação em Dança da Universidade Federal de Sergipe (UFS). Fomenta discussões sobre a utilização de estudos do movimento e criação em dança na escola, problematizando modos de instigar os alunos a fazerem parte do próprio processo de mediação em dança. Ressalta ainda, abordagens de utilizações da gestualidade como percurso para processos criativos em dança, tendo a improvisação como método de pesquisa imbricado nos fatores do movimento de Rudolf Laban, sendo eles: peso, fluência, espaço e tempo. O estudo foi desenvolvido semanalmente com 40 alunos do ensino fundamental, 8° ano “A” e “B”, do Colégio Estadual Ministro Petrônio Portela, localizado em Aracaju -SE, em um período de quatro meses. A abordagem metodológica da pesquisa é de caráter qualitativo, utilizando como referência a pesquisa descritiva e participativa. No decorrer das práticas algumas discussões se fizeram necessárias, tais como: a dança na escola e o processo de aprendizado compartilhado, compreensões sobre o corpo em movimento, noção de dança no contexto escolar e qual a relação do professor nesse processo. Os resultados obtidos indicaram a possibilidade de desenvolver um trabalho com dança dentro de uma coerência educacional, mediante atuações compartilhadas entre professor e aluno. A experiência fomenta questões pertinentes à prática da dança no contexto escolar e propõe o reconhecimento das singularidades do corpo como processo de estudo para mediação do ensino-aprendizagem em dança. Logo, percebemos a necessidade de discutir o ensino de dança na contemporaneidade, em que se interliga com o repertorio/gestualidade do aluno e professor, imbricando-os nos fundamentos do movimento que Laban propõe. Essas ações ratificam o mediador como fundamental para uma possível educação da autonomia, colaborando trabalhos que sucedesse em cooperação, percepção, ensino/aprendizagem e indagação/inquietação.

Veja o artigo completo: PDF