Resumo Trabalho

ROSENILDA APARECIDA PULCINELLI DE SOUZA, EVALDO PAULO DE SOUZA PULCINELLI

Perante as problemáticas geradas pela sociedade moderna, principalmente o estímulo ao consumismo aliada à poluição, o ser humano vem enfraquecendo a sua relação com a natureza. Segundo BOFF (2011), cuidar do meio ambiente, dos recursos e da Terra, deve sair do discurso imperativo e necessita urgentemente ser colocado em prática. Nesse sentido, o trabalho em questão teve como foco principal fomentar a prática da ética do cuidado (eco sensibilização) no ambiente escolar dos discentes do IFRR - CAM, com a construção e manutenção de espaços ecologicamente corretos, sob a perspectiva do cuidado com a casa. Partindo como princípio a preocupação com o cultivado nas áreas ecologicamente criadas e a sensibilização no que tange o trabalho em equipe para que o planeta seja bem melhor para se viver. Assim as escolas técnicas enquanto instituição não deve preocupar-se apenas com as competências técnicas na qual é infelizmente destinada, mas precisa também envolver os alunos nesta dinâmica de discussão sobre a preservação dos recursos naturais e principalmente o cuidado e respeito para com outro/casa/natureza, que são a base da ética cidadã. Ter compromisso e cuidado com o planeta, são ferramentas estanques para um planeta mais humanizado e menos injustiçado. Assim os projetos ambientais devem ser articulados seguindo os objetivos do conhecimento, da consciência ambiental, das atitudes, sob uma ótica mais humanizada considerando a ética do cuidado como aspecto essencial para maior equilíbrio ambiental. Dessa forma a ecologia deve ser tratada em sala de aula e fora dela, não somente os aspectos biológicos, mas também interligar o ser humano a sua essência, reintegrando o contato com os aspectos fundamentais do oikos (casa). Segundo BOFF (1999) a responsabilidade de cuidar do planeta é de todos e necessita ser irrigada pelo sentimento de solidariedade, ou seja, de pertencimento a uma comunidade. É neste sentido que esse projeto de extensão tenta incluir além da educação ambiental na escola, algumas virtudes humanas no cotidiano escolar: o cuidado de si e consequentemente do outro (solidariedade) como princípio da coletividade, e também na transformação do ambiente para re-significar os ambientes danificados pelo próprio ser humano. Fortalecendo desse modo aspectos inerentes a sociabilidade humana (cuidado com a natureza) e seu bem-estar, pois muitos espaços localizados nos ambientes escolares deixam de serem locais agradáveis e consequentemente criam condições para o aumento de insetos, poluição e alterações nas cadeias alimentares. Dessa forma o Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Roraima - Campus Amajari, possui uma área (especifica dos alojamentos), que pode ser mais bem aproveitada, com a construção de espaços mais ecológicos, e nesse sentido mais arborizado e esteticamente mais humanizado, pois fazer parte do coletivo escolar. Portanto, a aplicação de canteiros se torna fundamental para viabilizar uma maior interação dos discentes do curso técnico em Agropecuária com práticas sustentáveis que podem ser incluídas e incluir esses alunos na realidade global: educação ambiental e sustentabilidade e solidariedade. Ressaltando também a importância do trabalho e cultura do ser humano do campo, identificando técnicas de manejo do solo e manuseio sadio dos vegetais.

Veja o artigo completo: PDF