Resumo Trabalho

A DITADURA MILITAR E A INVISIBILIDADE DOS DIREITOS DAS MULHERES

ANNE KATHARINE GALDINO DA NOBREGA

Este estudo pretendeu analisar alguns pontos acerca da ditadura militar através de uma perspectiva de gênero, tendo em vista da ocultação do papel preponderantes das mulheres neste período, para tanto foi usada como ferramenta metodológica à revisão bibliográfica. A ditadura militar ainda é considerada como um evento histórico escondido dentro da história do nosso Brasil, o ano de 1964 ainda é um ano nebuloso e escondido a sete chaves pelo poder público do nosso país. O esquecimento na história da participação da mulher em meio a esse movimento, nos mostra o quão parcial é contada essa situação politica. A invisibilidade da mulher em meio ao processo de ditadura militar ocorre até hoje, após mais de 30 anos, fato este que esta explicitamente ligada à falta de comprometimento do Estado em nos deixar informados sobre esse período da história. O instável cenário político brasileiro nas décadas de 60 a 80 ocasionaram a entrada das mulheres na luta armada contra os regimes ditatoriais sendo estas responsáveis por importantes conquistas, mesmo suas atitudes estão invisíveis até hoje. As mulheres no início da década de 70 articularam-se formando seus próprios grupos de esquerda, afastando-se do machismo impregnado nos grupos liderados por homens resistentes a essa atuação. A militância feminina surgiu durante o processo da ditadura militar, mas mesmo com sua invisibilidade gerada por governantes através de uma cultura machista e arcaica, foi considerada como um o marco inicial no Brasil pela criação dos movimentos feministas a partir de uma vertente de esquerda, vindo assim a se consolidar e a se frutificar.

Veja o artigo completo: PDF