Resumo Trabalho

A REPRESENTAÇÃO DA HOMOAFETIVIDADE MASCULINA NO DISCURSO DE ACADÊMICOS DO CURSO DE LETRAS INGLÊS/UEVA.

Autor(es): JOSÉ RAFAEL BARROS DE MORAES e orientado por ME. JOSÉ RAYMUNDO F. LINS JR.

Esta pesquisa tem como objetivo analisar a representação da homoafetividade masculina no curso de Letras/Inglês da Universidade Estadual Vale do Acaraú, na cidade de Sobral/CE. Os estudos linguísticos, através do viés de Linguística Aplicada ou da Análise do Discurso, superaram questões estritamente ligadas ao ensino e à aprendizagem, e hoje dialogam com várias áreas do conhecimento, na tentativa de contribuir com discussões que permitam resolver demandas sociais. Entre elas, as questões sobre identidade de gênero e diversidade sexual são temas controversos que, longe de chegar ao senso comum, tornam-se cada vez mais necessários dentro e fora das fronteiras acadêmicas. Através da análise dos discursos dos licenciandos deste curso, propomos um diálogo entre a teoria queer (BUTLER, 2010) e o Sistema de Transitividade da Gramática Sistêmica-Funcional (HALLIDAY; MATTHIESSEN, 2004), como uma tentativa de entender os processos nos quais os participantes se identificam como indivíduos LGBT (Lesbicas, Gays, Travestis e Transexuais). A metodologia qualiquantitativa se dá através da análise dos dados coletados por um questionário aplicado entre 1 e 15 de agosto de 2017, no curso. Entendemos o discurso como as escolhas que um falante faz do potencial lexicogramatical da língua, resultando em como os participantes expressam e representam sua sexualidade e gênero. Os resultados mostram que a representação da homoafetividade, embora ainda relacionada à oposição binária dos atributos de masculinidade/atividade e feminilidade/passividade, não impede o reconhecimento das estruturas opressivas de um sistema heteronormatizado e a reação/empoderamento de indivíduos que não se submetem a essa opressão.

Veja o artigo completo: PDF