Resumo Trabalho

“O CORPO QUEER NA FICÇÃO CONTEMPORÂNEA: UM ESTUDO DE DEIXEI ELE LÁ E VIM, DE ELVIRA VIGNA”.

Autor(es): CATHARIE BRANDÃO DE SOUZA e orientado por ROSÂNGELA DE MELO RODRIGUES

A sociedade é complexa e está pautada em regras, condutas e conceitos que tendem a levar o indivíduo a se identificar como parte de um grupo, adquirindo atributos específicos para ser aceito, no entanto, nem todos se encaixam dentro dessa normatividade. O indivíduo trans há muito tempo tem sido visto como o diferente, o inadaptado e esquisito, e pouco espaço ocupa nas tramas ficcionais. O objetivo deste artigo é discutir a problematização encontrada na representação do corpo trans, a aceitação pelo indivíduo de sua condição, o estranhamento resultante da comparação entre o eu e o outro e as dificuldades encontradas nos embates dentro de sua comunidade de origem, tomando como corpus analítico o romance Deixei lá e vim, de Elvira Vigna. O livro aborda a trajetória na mudança de gênero de Shirley, que sofre desde criança com o estranhamento do próprio corpo e traumas que a marcam para o resto de sua vida; quando cresce este estranhamento se torna constrangimento na sua vida social, até que a consciência de si a liberta dos entraves impostos pela sociedade normativa. Nosso aporte teórico sustenta-se em Louro (1997, 1999, 2008); Butler (2015); Mott (2001); Freud (2016) e Foucault (1996) Com esta pesquisa busca-se compreender mais verticalmente a elaboração de personagens trans na narrativa contemporânea e as relações entre a composição desse tipo de personagem com questões que permeiam a sociedade contemporânea no que diz respeito ao confronto entre aceitação e subversão de imposições normativas sobre condutas sexuais.

Veja o artigo completo: PDF