Resumo Trabalho

IMPORTÂNCIA DAS ATIVIDADES DE RECREAÇÃO EM UMA INSTITUIÇÃO DE LONGA PERMANÊNCIA PARA IDOSOS: RELATO DE EXPERIÊNCIA

ALANA DUQUE DOS SANTOS, BEATRIZ DE ALMEIDA MARQUES, DARKMAN KALLEU DA SILVA TEIXEIRA, ESTER DA SILVA SANTOS e orientado por LUANA MACHADO ANDRADE e orientado por LUANA MACHADO ANDRADE

Apesar do processo de envelhecimento fazer parte do ciclo natural da vida não é vivenciado de forma semelhante entre todos os indivíduos, pois, sofre diversas influências socioeconômicas interferindo diretamente na forma de envelhecer. Assim, o núcleo comunitário e familiar tem um papel fundamental na vida do idoso principalmente no que se refere ao enfretamento de determinadas condições muitas vezes inerentes ao processo de envelhecimento, como por exemplo, as demências, que por sua vez causam alterações comportamentais surgindo conflitos familiares o que pode levar o idoso à institucionalização. Sendo assim, devem-se tomar medidas que assegurem a capacidade mental, cognitiva e funcional do idoso, com o intuito de contribuir para uma maior qualidade de vida. O objetivo do presente estudo é relatar a experiência de discentes sobre a importância das atividades de recreação em uma instituição de longa permanência para idosos, a partir de vivência durante a prática curricular. Trata-se de um estudo de caráter descritivo, do tipo relato de experiência que apresenta a vivência de discentes do curso Bacharelado em Enfermagem da Universidade do Estado da Bahia (UNEB), Campus XII, referente às atividades desenvolvidas em uma Instituição de longa permanência para idosos localizada na cidade de Guanambi – BA. Dentre as atividades recreativas desenvolvidas, a pintura das imagens possibilitou a expressividade por parte dos idosos através das cores, utilizando lápis e giz de cera. Enquanto os idosos pintavam percebeu-se a alegria e o contentamento nítido na face dos mesmos. Além disso, pode-se perceber também que as idosas apesar de institucionalizadas não perderam a vaidade, característica essa percebida pelo desejo de todas as idosas terem sua unha pintada. Dessa forma, a manutenção da autoestima interfere no bem-estar, humor, saúde física e mental, além de melhorar as relações interpessoais da pessoa idosa. Pode-se inferir que as atividades recreativas são de baixo custo e servem como recurso terapêutico para idosos. Nesse sentido, salienta-se a necessidade das ILPI implementarem em suas programações diárias atividades que despertem a autonomia do idoso e ocupem o tempo deles com ações que além de melhorarem a cognição, despertarão sentimentos de prazer e alegria.

Veja o artigo completo: PDF