Resumo Trabalho

AVALIAÇÃO DA CAPACIDADE FUNCIONAL DE IDOSOS URBANOS PARA ATIVIDADES INSTRUMENTAIS DE VIDA DIÁRIA

ANA CARLA ALCANTARA FRUTUOZO, BRENDA NATALLY SOARES FURTADO, WENDELL AGUIAR SILVA e orientado por VITÓRIA REGINA QUIRINO DE ARAÚJO e orientado por VITÓRIA REGINA QUIRINO DE ARAÚJO

O processo de envelhecimento ocasiona alterações nos sistemas orgânicos do corpo humano, sendo uma dessas modificações a perda ou diminuição da capacidade funcional do indivíduo. Por capacidade funcional entende-se a habilidade física e mental para manter uma vida independente e autônoma, necessária na manutenção de suas atividades básicas e instrumentais. O estudo teve como objetivo identificar a possível associação entre a capacidade funcional a partir da Escala de Lawton para as atividades instrumentais de vida diária, o risco e prevalência de quedas, e as categorias das condições sociodemográficas em idosos urbanos atendidos na Rede Básica de Atenção à Saúde. O estudo teve como objetivo identificar a possível associação entre a capacidade funcional a partir da Escala de Lawton para as atividades instrumentais de vida diária e as categorias das condições sociodemográficas em idosos urbanos atendidos na Rede Básica de Atenção à Saúde. A amostra foi composta de idosos acima de 60 anos adscritos na Rede de Unidade Básica da Saúde distribuída entre seis distritos sanitário da cidade de Campina Grande- PB. Inicialmente os idosos responderam ao questionário sociodemográfico e após foi realizada a aplicação da Escala de Lawton para avaliação da capacidade instrumental de vida diária. Os idosos na faixa etária de 80 anos ou mais apresentaram maiores índices de medo de cair e maior dependência nas AIVD. Há associação significativa entre a idade e a AIVD. Portanto, quanto mais funcionais os idosos forem mais independentes em suas atividades instrumentais, minimizando risco de quedas nessa população.

Veja o artigo completo: PDF