Resumo Trabalho

IMAGEM CORPORAL E QUALIDADE DE VIDA DE IDOSOS

SUZELLI ASSUNÇÃO AZEVEDO, KARINE NASCIMENTO SANTOS, ALESSANDRA SOUZA DE OLIVEIRA, STENIO FERNANDO PIMENTEL DUARTE e orientado por ARIANNA OLIVEIRA SANTANA LOPES e orientado por ARIANNA OLIVEIRA SANTANA LOPES

INTRODUÇÃO-O crescimento acelerado da população idosa é um fenômeno de grandeza mundial.A Organização Mundial da Saúde estima que em 2030 a expectativa de vida ao nascer, seja em média de 78,64 anos.Na velhice há uma predisposição para modificação da auto-imagem que esta diretamente ligada à maneira como as pessoas enxergam seu corpo no espelho.Fato este que tem sido intimamente relacionado à saúde, qualidade de vida e auto-estima, podendo, muitas vezes, ocorrer uma disparidade entre a imagem desejada e a imagem real.Nessa perspectiva, a escolha de hábitos saudáveis torna o envelhecimento mais prazeroso, a pratica de atividades físicas como, ginástica ou uma simples caminhada, tem contribuído com a melhora do condicionamento físico, otimizando a capacidade aeróbica, sendo indicador positivo para a saúde e qualidade de vida na terceira idade, bem como melhor percepção da imagem corporal.Justifica-se a realização do estudo ao considerar o número crescente e acelerado da população idosa acompanhado da má qualidade de vida e conseqüente insatisfação com o próprio corpo.Posto como objetivo analisar a imagem corporal e sua relação com a qualidade de vida de idosos do interior da Bahia.METODOLOGIA-Trata-se de uma pesquisa do tipo analítica com delineamento transversal e abordagem quantitativa.O local de estudo foi o município de Vitória da Conquista/BA e de Itambé situado na região sudoeste do Estado da Bahia.Os participantes do presente estudo foram 250 Idosos.O projeto foi submetido ao Comitê de Ética em Pesquisa, em seguida aprovado, com parecer de aprovação nº 1.670.007.A coleta de dados ocorreu em duas etapas distintas, sendo a primeira composta de uma entrevista e a segunda composta de antropometria.RESULTADOS E DISCUSSÕES-Houve a prevalência de idosas do sexo feminino, compondo 73,6% da amostra total.Em relação à satisfação com o corpo, 81,3% declararam satisfeitos.Na utilização do (instrumento de silhueta), observamos que a maioria tinha uma percepção de obesidade, demonstrando insatisfação com a percepção corporal relacionada ao peso.Em se tratando da percepção de qualidade de vida vimos que 97,1%, declararam sua qualidade de vida como boa.Na tabulação cruzada entre imagem corporal e qualidade de vida, os resultados demonstram que, 167 idosos que se consideram satisfeitos com o corpo apresentam resultados para o domínio físico normal.Se apresentam também normais quanto ao domínio psicológico.Nas relações sociais, dos que estão satisfeitos e não satisfeitos com o corpo, aparece com domínio reações sociais normal.Quanto ao ambiente, dos, os que se consideram satisfeitos com o corpo e não satisfeitos, aparecem no domínio ambiente como normal.CONCLUSÃO-Conclui-se que os idosos apresentaram neste estudo uma satisfação considerável em relação a sua imagem corporal bem como em relação a sua qualidade de vida, sendo justificado pelo estado geral de saúde. A grande parte dos idosos levam uma vida ativa; desempenham as atividades da vida diária; apresenta ausência de doença mental; possui bom relacionamento social; aceita melhor as modificações de hábitos de vida que exigem adaptação do cotidiano. Esse estudo mostra que, para esse grupo, o processo de envelhecimento não afetou de maneira negativa a percepção da imagem corporal e qualidade de vida.

Veja o artigo completo: PDF