Resumo Trabalho

QUEDAS EM IDOSOS: FATORES RISCO E CONSEQUÊNCIAS

CARLA NOELY LIMA PESSOA, THAISA MACHADO DE OLIVEIRA, ERIKA LAYS ALVES DA ROCHA e orientado por BÁRBARA COELI OLIVEIRA DA SILVA e orientado por BÁRBARA COELI OLIVEIRA DA SILVA

O crescimento acelerado do número de idosos no Brasil traz consigo modificações no perfil epidemiológico da população. A pessoa idosa torna-se mais vulnerável a doenças e a acontecimentos de urgência, como as quedas. Estas podem ser ocasionadas por elementos intrínsecos e/ou extrínsecos e podem causar consequências diretas e/ou indiretas a saúde das pessoas, ocasionando desde comprometimento físico ao psicossocial. Assim o presente estudo objetivou identificar os fatores risco e as consequências da queda em idosos. Trata-se de um estudo de revisão de literatura com abordagem quantitativa realizada na base de dados Literatura Latino-Americana e do Caribe em Ciências da Saúde e a biblioteca digital Scientific Electronic Library Online, incluindo artigos publicados de 2007 a 2017. A busca resultou em 504 artigos dos quais 16 atenderam aos critérios de inclusão. Os fatores intrínsecos relacionados aos episódios de queda estão relacionados ao processo de envelhecimento, sendo 50% relacionado a falta de equilíbrio. O banheiro antiderrapante, tapetes e piso escorregadio caracterizam as maiores causas de quedas relacionadas a fatores extrínsecos gerando consequências que vão desde lesões de tecidos moles, lacerações e fraturas até sequelas psicológicas. O estudo possibilitou identificar fatores de risco de maior importância para a incidência das quedas em idosos, as consequências que estes eventos acarretam no bem-estar dos longevos e a importância de conhecer estes fatores a fim de modificá-los e propiciar melhor qualidade de vida para os idosos.

Veja o artigo completo: PDF